Geral

Durante um debate ríspido estabelecido entre o oposicionista Fernando Rezende (DEM) e o presidente da Câmara Municipal de Palmas, Vanderlei Barbosa (PSB) ontem, terça-feira, 14, sobrou até para o Paço Municipal da capital, que foi acusado de não querer parceria com o governo estadual.

Não é a primeira vez que um vereador ligado ao governo do Estado toca no assunto da parceria com a administração da Capital. Há pouco mais de uma semana o vereador Valdemar Junior (DEM) defendeu o entendimento entre os dois governos para solucionar o problema dos portadores de câncer na capital que não tem à disposição o tratamento à base de radioterapia, tendo que se deslocar para Araguaina ou Goiânia.

Ontem Rezende disse que o governo do Estado tem interesse de ser parceiro “mas o prefeito não quer”, afirmou, para seguir completar, “como é que você vai ser parceiro de alguém que não quer ser parceiro. Lamentavelmente a eleição do ano que vem foi antecipada”, arrematou.

Outro que defendeu a parceria entre as duas administrações foi o vereador Bismarque do Movimento (PT). O vereador disse que o governo do Estado não tem feito em Palmas como em Araguaina, “onde está com as máquinas atuando”. Bismarque disse que a parceria tem que continuar também em Palmas.

Vanderlei x Rezende

O atrito entre os dois vereadores que vêm desde o período eleitoral e a cada dia desenrola novos capítulos. Ontem Rezende trouxe para a Câmara alguns moradores do assentamento Entre Rios da região de Taquaruçu e foi para a tribuna dizer que alguns agricultores da região estavam sendo prejudicados, porque estavam sofrendo com discriminação na hora de usufruir de máquinas do poder público para melhoria de estradas e da produção.

Segundo o vereador a discriminação estaria ocorrendo por causa dos “coronéis políticos da região”. Vanderlei Barbosa que tem sua base eleitoral na região tomou as dores e foi à tribuna dizer que, quando se faz uma denúncia, tem que se dar os nomes. “Se tem vontade de dizer que eu sou coronel diga para mim”, revidou.

Rezende rebateu dizendo que não nominou Vanderlei na denúncia porque não tinha certeza e que a "questão pessoal e política" entre os dois teria que ser tratada por fora. Rezende ainda disse que na região “tem muito voto para todo mundo”.

Durante a discussão que ainda seguiu por um bom tempo com a participação de outros vereadores, Vanderlei voltou a revidar em Rezende, dizendo: “eu sofro com o comportamento deste cidadão desde o período eleitoral”, desabafou.

(Umberto Salvador Coelho)