Estado

A Sesau – Secretaria de Estado da Saúde informou na tarde deste sábado, 30, que a americana Michelli Costantin, internada no Hospital Geral de Palmas (HGP), é o primeiro caso confirmado da gripe Influenza (A) H1N1, gripe suína, no Tocantins.

Michelli apresentou os primeiros sintomas no município de Colinas do Tocantins, onde estava realizando trabalho social em uma paróquia da igreja católica. Ela está internada desde o último dia 23.

Os resultados dos exames foram comunicados ao HGP pelo Centro de Informações Estratégicas do Ministério da Saúde na tarde deste sábado. A Sesau está fazendo o acompanhamento e monitoramento de todas as pessoas que tiveram contato com a paciente.

No boletim do Ministério da Saúde deste sábado, ainda não consta a notificação do Tocantins. Segundo o ministério são acompanhados 19 casos suspeitos da Influenza em 10 estados do país. As amostras com secreções respiratórias dos pacientes estão em análise laboratorial.

Os casos suspeitos estão nos estados de São Paulo (05), Rio de Janeiro (03), Rio Grande do Norte (03), Distrito Federal (02), Minas Gerais (01), Rondônia (01), Alagoas (01), Bahia (01), Goiás (01) e Roraima (01).

Além disso, 17 casos estão em monitoramento em 9 estados e o número de casos descartados até hoje é de 346. Até o momento, foram confirmados 16 casos da doença, sendo São Paulo (07), Rio de Janeiro (05), Santa Catarina (02), Minas Gerais (01) e Rio Grande do Sul (01). Para todos os casos, estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com esses pacientes.

Os números referem-se a informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 9h30 deste sábado, portanto, sem o caso do Tocantins. Todos os casos identificados após esse horário serão contabilizados a partir de amanhã.

Transmissão Autóctone

Até o momento são quatro os casos detectados de transmissão autóctone (dentro do território nacional), todos com vínculos epidemiológicos com pacientes procedentes do México ou EUA. Desse modo, a transmissão no Brasil é limitada e não há evidência de sustentabilidade da transmissão do vírus de pessoa a pessoa, segundo Ministério da Saúde.

9. Neste sábado, 57 países têm casos confirmados e divulgados da doença, de acordo com informações dos governos ou da Organização Mundial de saúde (OMS).

Casos Suspeitos

São consideradas suspeitas pessoas que apresentarem febre alta de maneira repentina (acima de 38ºC) e tosse, podendo estar acompanhadas de algum dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dores musculares e nas articulações e dificuldade respiratória; Ter apresentado sintomas até 10 dias após sair de países que reportaram casos pela Influenza A.

Também são suspeitas quem tiver tido contato próximo, nos últimos 10 dias, com uma pessoa classificada como caso suspeito. Para o Ministério da Saúde, contato próximo é a pessoa que cuida, convive ou teve contato direto com secreções respiratórias ou fluidos corporais de um caso suspeito.

(Umberto Salvador Coelho)