Estado

Foto: Divulgação

A grande incidência de denuncias de pedofilia e exploração sexual infantil no município de Guaraí está levando a Promotoria da Infância e Juventude da cidade a realizar diversas ações que visam a proteção das crianças da cidade. Em virtude disto o Ministério Público Estadual é parceiro da Patrulha Escolar, promovida pela Polícia Militar que tem como objetivo combater os crimes e identificar os possíveis envolvidos nestas práticas. O intercâmbio de informações é a ferramenta principal para a atuação ministerial nestes casos.

De acordo com a Promotora de Justiça da Infância e Juventude Clenda Lúcia Fernandes Siqueira, a proximidade de Guaraí com a Rodovia Federal BR 153, que corta o município, é o que pode estar levando ao grande número de crimes de exploração sexual infantil, em tese, praticados por caminhoneiros que transitam pela cidade. Assim, no intuito de amenizar tal situação, foi realizado um Termo de Compromisso de Cooperação ao Combate a Exploração Sexual Infantil, com a Polícia Militar, Prefeitura Municipal, através da gerência de trânsito, Polícia Rodoviária Federal, Conselho Tutelar e os proprietários de postos de combustíveis da região, para que possam colaborar com uma fiscalização através de uma força tarefa. A força tarefa englobará a fiscalização diurna, denúncias e efetivação na delimitação das áreas dos pátios dos postos de combustíveis quanto ao número máximo de veículos de grande porte que poderão permanecer estacionados para pernoite.

Recentemente, o MPE, através da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, fez cumprir determinação da Lei Federal 11.577/07 que torna obrigatória a divulgação, através de cartazes, de mensagens contra a exploração sexual infantil. A comunicação está sendo feita em hotéis, restaurantes, bares, posto de combustíveis, casas noturnas e similares.

De acordo ainda com a Promotora de Justiça, na comarca de Guaraí, as denuncias de pedofilia têm sido crescentes, principalmente após o efetivo trabalho da Patrulha Escolar. Contudo, argumenta, haver pessoas que por descrédito nas autoridades e na justiça deixam de denunciar.

Assim, Clenda Lúcia garante que o Ministério Público Estadual não vai medir esforços para barrar a prática destes crimes, inclusive estando atento ao desenrolar dos processos que estão tramitando no judiciário contra alguns supostos criminosos que, inclusive, já foram detidos e depois liberados pela Justiça. Ela ressalta que o crime de pedofilia em Guaraí está sendo praticado, em sua grande maioria, por parentes das crianças envolvidas.

Fonte: MPE