Estado

Foto: koró Rocha Bancada sindical foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa Bancada sindical foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa

Na noite desta quarta-feira, 2, os trabalhadores da Saúde do Estado aprovaram por unanimidade a proposta fechada entre a Bancada Sindical da Saúde e governo do Estado, colocando assim um fim ao impasse das negociações do pagamento do reajuste dos 25%, o passivo desde janeiro de 2008 e progressão vertical a partir de 1º de março de 2008. Houve apenas um voto contra.

A assembleia, na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sintras) contou com a participação do presidente da entidade, Manoel Miranda, além dos representantes dos sindicatos dos Farmacêuticos (Sindifato), dos Cirurgiões Dentistas (Sicideto), dos Médicos (Simed) e Enfermagem (Seet).

Os servidores aprovaram a proposta final acordada entre bancada e Governo - o reajuste dos 25% será pago em duas vezes – 11,803% em outubro deste ano, com recebimento em novembro e mais 11,803%, em agosto de 2010, com recebimento em setembro. O retroativo do passivo será parcelado em 36 vezes com pagamento a partir de dezembro de 2010.

Já com relação a progressão vertical de março de 2008, dos servidores da Saúde, o pagamento será a partir de janeiro de 2010, parcelado em seis vezes.

Ainda durante a assembleia ficou definido que na minuta a ser encaminhada nesta quinta, 3, ao governo Estadual, deverá constar que os aposentados deverão ser beneficiados da mesma forma, não havendo prejuízos para os mesmos.

Segundo o presidente Sintras, Manoel Miranda, a proposta foi considerada pela categoria a melhor até então apresentada. "Devemos destacar ainda que a união de todos os sindicatos ligados à Saúde foi fundamental para a negociação avançar de forma rápida e satisfatória".

Miranda informou ainda que no início da tarde, ele e os colegas da bancada foram recebidos pelo presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Carlos Henrique Gaguim (PMDB), que garantiu em se empenhar para que quando o projeto do reajuste negociado chegue àquela casa seja aprovado o mais rápido possível.

(Colaborou Inez Freitas)