Estado

Não houve conciliação entre o governo do Estado e Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintras-TO), durante audiência judicial de cobrança de insalubridade, realizada na tarde de ontem, terça-feira, 10, na Vara de Feitos da Fazenda de Palmas. Os representantes do Estado não apresentaram nenhuma proposta e com isto haverá julgamento, ainda sem data definida.

A cobrança de insalubridade beneficia aos servidores lotados na Superintendência de Vigilância e Proteção à Saúde, e nas coordenadorias de Informação de Vigilância em Saúde, Doenças não transmissíveis, Vigilância ambiental, e Gestão de vigilância em saúde. Também será julgada a remuneração aos servidores que exerçam esta função eventual ou esporadicamente, além de ressarcir os prejuízos materiais e morais decorrentes desta omissão.

A ação foi impetrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Tocantins ao verificar que servidores da Saúde do Estado não estavam sendo remunerados de forma adequada no exercício de suas funções, cujos serviços são imprescindíveis na área e estavam sendo exercidas em condições insalubres.

Por: Inez Freitas

Tags: Estado, Insalubridade, Saúde, Sintras