Geral

Foto: Antônio Gonçalves

Os procedimentos e metodologia a serem utilizados no censo populacional de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) foram debatidos na manhã desta terça-feira, 17, na Câmara Municipal de Palmas, por uma comissão criada pelo Instituto, que tem por finalidade facilitar a realização do Censo, com o apoio logístico, cobertura territorial correta, e auxilio na divulgação em todas as fases do levantamento.

O prefeito de Palmas, Raul Filho, participou da sessão, e questionou dados do último censo, divulgados em 2008, que teve como resultados o aumento da renda per capita no Estado e por consequência, em Palmas e também, diminuição da população em relação às contagens anteriores. Pelos dados do IBGE, Palmas possui atualmente 178.386 mil habitantes. Nas estimativas anteriores essa população era de aproximadamente 220 mil habitantes.

Segundo o prefeito, Palmas tem uma população de estudantes universitários que gira em torno de 12% e que não são contabilizadas pelo IBGE como habitantes da capital, e sim, de seus municípios de origem. “Porém, essas pessoas residem em Palmas e utilizam os recursos daqui. Essa metodologia precisa ser revista”, ponderou.

O prefeito Raul Filho ponderou que o outro fator, que diz respeito ao aumento da renda per capita, é que essa informação se deve às muitas transferências de recursos realizadas pelo Governo Federal ao Tocantins, nos últimos dois anos e que foram contabilizados como incremento da renda da população, acarretando numa redução de repasse de recursos para os municípios.

Os vereadores de Palmas fizeram coro juntamente com o prefeito Raul Filho, alegando que o município ficou prejudicado e que esta metodologia precisa ser revista. A orientação do IBGE é para que seja elaborado um documento conjunto, pelos poderes legislativo, executivo municipal e estadual, formalizando esta preocupação e solicitando do Governo Federal que a metodologia seja reavaliada.

Participaram da sessão, o chefe da Unidade Estadual do IBGE, Francisco Soares Ferreira e o coordenador estadual das Comissões Censitárias de Geografia e Estatísticas, Geraldo Junqueira Filho.

Fonte: Ascop