Estado

Foto: Divulgação

“O governo do Estado, em apenas seis meses, conseguiu corrigir as perdas salariais existentes desde 2002, dando ainda um ganho real aos professores”. A declaração é do secretário da Educação e Cultura do Tocantins, senador licenciado Leomar Quintanilha, logo após a reunião com os representantes do Sintet – Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Tocantins, nesta segundaa-feira, 08, em Palmas.

28,25%. Este é o total de reajuste que os professores da rede pública estadual receberão entre outubro do ano passado até setembro deste ano e a revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, que dará mais ganhos salariais à categoria. O governo do Estado acrescentou 2% à proposta anterior, subindo de 14,60% para 16,60% o percentual de aumento a ser pago até junho, mantendo, ainda, os 5% concedidos em outubro do ano passado, pelo governador Carlos Henrique Gaguim. Além disso, a categoria receberá mais 4,5% da inflação prevista para o período de outubro de 2009 a setembro deste ano.

A reunião dos secretários da Educação e Cultura, senador Leomar Quintanilha, e da Casa Civil, Antônio Lopes Braga Júnior, e do presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Coimbra, com o presidente do Sintet – Sindicato dos Trabalhadores de Educação do Tocantins, José Roque Santiago, ocorreu na Assembleia Legislativa.

A programação de pagamento feita pelo governo, de forma a atender à capacidade financeira do Estado, prevê 2% de reajuste em maio, 14,60% em junho e 4,5% de reposição das perdas causadas pela inflação de outubro de 2009 a setembro de 2010, além de manter os 5% concedidos em outubro do ano passado.

O secretário da Casa Civil explicou que, em números acumulados, o valor total dos percentuais é de 28,25%, pois os aumentos, em datas diferentes, serão calculados em cima do salário atualizado com os percentuais já concedidos. Por exemplo: quem ganhava R$ 2.181,60 em outubro do ano passado e teve 5% de aumento naquela data, passou a receber R$ 2,290,68. Em maio, receberá mais 2%, passando a ganhar R$ 2.336,49. Em junho, com os 14,60%, o mesmo salário passará a R$ 2.677,58. Em outubro, com mais 4,5%, previstos de inflação os vencimentos dos professores da Educação Básica atingem R$ 2,798,07, totalizando 28,25% de reajuste de outubro do ano passado a setembro deste ano.

Fonte:Secom