Geral

Foto: Helton Gonzaga/RT

O pecuarista Luiz Ricardo de Matos Delgallo, dono da Fazenda Primavera, no município de Muricilândia (TO) denunciou à Delegacia Regional de Polícia Civil de Araguaina que no dia 5 de abril recebeu um telefone anônimo em sua residência na cidade de Lorena (SP) relatando que em meados do mês de março havia sido embarcado diversas cabeças de gado do interior de sua fazenda em um caminhão de propriedade de um açougueiro de Araguaina conhecido pelo apelido de “MIR”.

O gado, quarenta cabeças, teria sido vendido pelo gerente da fazenda, Aldenor da Costa Cardoso, ao açougueiro, sem autorização do proprietário da fazenda. Interrogado no dia 9 de abril, Cardoso disse que teve de dispor das 40 cabeças para colocar em dia as contas da fazenda.

Segundo depoimento do funcionário da fazenda, o proprietário Luiz Delgallo devia no Supermercado Santa Fé e em outros comércios de Santa Fé do Araguaia, e, com a venda do gado estes débitos foram quitados.

Valtenis Lino

Esta não foi a primeira vez que o gerente vendeu gado da fazenda. Em uma das oportunidades Cardoso chegou a vender 110 cabeças de gado para o prefeito de Santa Fé do Araguaia, Valtênis Lino, pelo valor de R$ 27.000,00. Este, aliás, é um dos motivos que levaram o delegado da Regional de Araguaina, Silneir Deófanes, a intimar o prefeito para prestar esclarecimentos.

Como tem foro privilegiado o prefeito pode escolher o dia que irá prestar esclarecimentos. Caso fique comprovado que o prefeito também adquiriu gado produto de apropriação indébita, ele poderá ser indiciado por receptação.

O Conexão Tocantins entrou em contato com o prefeito Valtenis Lino e inicialmente ele disse que não tinha conhecimento do fato para a seguir dizer que na verdade foi ele que denunciou ao delegado que um gado seu havia sido roubado. “Eu que estou denunciando, está tudo sob controle aqui”, disse.

Valtenis afirmou que ele é que está sendo vítima de roubo de gado na região e questionou: “agora depois de dois anos o homem vai dizer que não autorizou a vender!”. Valtenis disse que, “se o fazendeiro está dizendo que não autorizou a venda, isto é golpe do fazendeiro com o gerente”, questionou. Segundo ele, o fazendeiro está enrolando além dele outros fazendeiros da região.

Valtenis avaliou o risco de ser indiciado por receptação e disse: “ah, mas o fazendeiro falou para mim que autorizou a vender. Ele falou que parte do gado ele autorizou a vender. Parte não, eu inclusive quando fiquei sabendo, primeira coisa que eu fiz foi chamar ele na minha casa e falar com ele. Ai ele falou: eu autorizei a vender uns e outros não. Ai eu falei com ele, então você vai ter de explicar isto na polícia". Segundo o prefeito ele tem todos os recibos da transação.