Campo

Foto: Lenito Abreu

O produtor Denilson Vizotto cria ovinos há 20 anos, mas constatou que ainda tinha muito o que aprender sobre a criação. Ele esclareceu dúvidas sobre doenças, manejo sanitário e planejamento da ovinocaprinocultura na manhã de sábado, 19, no Dia de Campo da Adapec - Agência de Defesa Agropecuária. O evento, que reuniu mais de 100 estudantes e produtores rurais, ocorreu na Fazenda Wagnessa, no município de Ananás, a 520 km de Palmas.

“O que achei mais importante foi a questão do manejo mesmo. Por exemplo, eu crio ovinos mais no modo extensivo e vi que preciso criá-los por lote, que é mais fácil de controlar as doenças e a reprodução”, explica o produtor Denilson.

Já o produtor Francisco Borges da Costa, que já criou ovinos, mas desistiu da criação, recebeu novo incentivo com as palestras. “Vou planejar direitinho para não cometer novos erros. O Dia de Campo foi muito importante. Apesar de estar muito tempo trabalhando com isso, também vi coisas que ainda não conhecia como o banho parasiticida para limpeza e desinfecção dos animais”, disse.

Duas palestras foram ministradas, Sanidade de Ovinos e Caprinos com o médico veterinário da Adapec, Jefferson Pessoa, que falou sobre o mercado promissor para as criações, manejo sanitário e as principais doenças que acometem esses animais no Tocantins.

Já o professor do Instituto Federal do Tocantins, Alfonso D’Império, tratou dos problemas que podem trazer prejuízos aos produtores, como a falta de planejamento financeiro, o manejo reprodutivo descontrolado e a má alimentação. “A ovinocultura dá muito mais lucro do que a bovinocultura, mas existe uma questão cultural que atrapalha o investimento na área. O produtor quer ser fazendeiro, criar gado, ser grande e ter poder. A ovinocultura está relacionada à pobreza do nordeste e ninguém quer ser pobre. E isto tudo é um mito hoje em dia. A ovinocultura é mais rentável”, explicou o professor.

O presidente da Adapec, José Luciano Azevedo, comemorou o sucesso do Dia de Campo. “Foi excelente a participação dos produtores e espero que eles tenham absorvido bem a ideia da ovinocaprinocultura que tem crescido, mas ainda tem muita demanda a ser suprida pelos nossos produtores”, pontuou.

Dados

Atualmente o Tocantins tem mais de 112 mil ovinos e 17 mil caprinos, mas ainda é preciso exportar produtos de outros estados para abastecer o mercado interno. Em todo o Brasil são 17 milhões de ovinos e oito milhões de caprinos.