Geral

Foto: Divulgação Paulo Mourão será lançado pelo PT neste sábado, 26 Paulo Mourão será lançado pelo PT neste sábado, 26

O pré-candidato ao Senado e ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão em entrevista ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 5, afirmou que não entrará na justiça contra as declarações do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) que criticou a postura do pré-candidato.

“O que eu posso fazer é lamentar o ato do prefeito”, disse. Mourão afirmou que o presidente do PT, Herlan Torres baixou uma normativa para que os assuntos sejam resolvidos internamente entre os membros. “Essa é uma ação de alguém que está desequilibrado”, disse se referindo ao prefeito.

Para Mourão o motivo das críticas de Raul é pelo fato de não ter conseguido a indicação da esposa e deputada estadual Solange Duailibe para a vaga de senador. “São pessoas que ás vezes não sabem compreender as derrotas”, frisou.

O candidato disse também que o prefeito Raul “criou” os fatos contra ele. Indagado sobre os motivos de tanta desavença do partido e alfinetadas na mídia entre os petistas ele afirmou que tudo isso foi causado por pessoas que não souberam aceitar o fato do partido abrir mão da candidatura própria.

“Foi em nome de um projeto maior, o objetivo do partido é eleger senadores, deputados federais e eleger Dilma”, frisou. Nesse sentido Mourão reafirmou que o partido está sabendo lidar com esse momento e que continua resolvendo tudo à “luz cristalina”. “O PT detém todo o respeito internamente”, disse.

Momento novo

O candidato mencionou ainda que no momento está focado em discutir com a sociedade o “momento novo” que é sua candidatura ao Senado ao lado ex-governador Marcelo Miranda (PMDB).

“É um projeto novo que preciso agora discutir com a sociedade”, disse. Em Porto Nacional, Mourão disputa preferência com Vicentinho Alves (PR) da coligação “Tocantins levado á Sério”. Nesta segunda, 5, o petista entrará na justiça contra o deputado por calúnia e difamação. Vicentinho afirmou que Mourão teria o procurado para pedir ajuda financeira e ainda negociar apoio político. Mourão nega todas as declarações.