Polí­cia

Foto: Divulgação

Hermando Rodrigues Soares, conhecido como Maninho da Casa São Paulo foi preso nesta quarta-feira, 04, pela Polícia Federal, acusado de integrar uma quadrilha que desviava dinheiro e praticava crimes pela internet.

Rodrigues é filho do presidente regional do PSDB, Ernani Siqueira e participava ativamente da campanha do ex-governador Siqueira Campos (PSDB), candidato do partido.

Maninho da Casa São Paulo foi preso juntamente com outros 15 integrantes de uma quadrilha, após a Polícia Federal cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em Palmas e Paraíso do Tocantins. Entre os presos estão empresários, comerciantes com lojas em Palmas e Paraíso, e “crackers” – pessoas que alugavam contas bancárias para o saque de dinheiro desviado. A investigação foi iniciada em 2008, depois de denúncias de agências bancárias.

Segundo o delegado de combate aos crimes fazendários da Polícia Federal, Welder Marques, o esquema criminoso funcionava da seguinte forma: membros da quadrilha enviavam milhares de e-mails com um vírus do tipo Trojan anexado.

Esse vírus, depois de se instalar nos computadores de pessoas que fazem transações financeiras pela internet, copiava o número das contas e as senhas e enviava os dados para os “crackers”. Com as informações, eram realizadas transferências de valores para contas de “laranjas”.

O foco do esquema era mesmo o pagamento de faturas bancárias. Membros da quadrilha procuravam pessoas que deviam altas quantias em impostos, como IPVA e Imposto de Renda, entre outros débitos, e se ofereciam para liquidar a dívida, cobrando uma fração do valor total.

Com o dinheiro em mãos, os fraudadores invadiam os sistemas internos dos órgãos credores e “quitavam” a dívida. Até mesmo empresas prestadoras de serviços básicos, como fornecedores de água, energia e telefonia, foram vítimas dos bandidos.

O filho do presidente do PSDB e os demais integrantes da quadrilha desarticulada pela PF foram enquadrados no art. 155, parágrafo 4º do Código Penal Brasileiro: furto qualificado mediante fraude. Caso seja condenado, Maninho da Casa São Paulo pode pegar de dois a oito anos de prisão.

Preocupação

O fato repercutiu mal no meio político, principalmente no grupo que tenta eleger Siqueira. Muitos questionamentos surgiram, mas o maior deles é sobre o nível de segurança que a coligação tinha, já que o filho do presidente poderia ter acesso a todas as contas de todos os candidatos e ainda o poder de manipulá-las, sem a autorização ou conhecimento de seus titulares.