Cultura

Foto: Divulgação

Criatividade, habilidade com as mãos e a necessidade de aumentar a renda familiar são características que tem reunido mulheres em cursos de artesanato por todo o Estado. Neste ano já foram capacitadas mais de mil pessoas nos cursos de Macramê, Crochê em Grampo, Arte em Retalho, Moda Praia, Xita Chique, Ponto Russo entre outros.

Os cursos fazem parte do projeto de Inclusão Produtiva da Setas - Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, que visa dar autonomia às famílias beneficiadas por programas socias como: Pioneiros Mirins, Peti – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, Bolsa Família, entre outros.

As atividades são desenvolvidas em 30 horas e contam com aulas téoricas, sobre associativismo e empreendedorismo e aulas práticas. A instrutora de Ponto Russo, Neusivan Veira, explica que cada modalidade reúne cerca de 20 mulheres e os encontros, que em geral duram uma semana, contam sempre com muita conversa e troca de experiências. “Além de ensinar a técnica procuramos mostrar às alunas a importância de trabalhar em conjunto e de buscar novas alternativas de ganhar a vida”. Completou a instrutura durante um curso no município de Peixe.

Em Aliança do Tocantins de 02 a 06 de agosto foi realizada a segunda etapa da capacitação. De acordo com a secretária municipal de assistência social do município, Sonja Kátia Marinho o artesanato é uma vocação natural de Aliança e por isso a prefeitura tem investido na organização e profissionalização das artesãs. “Estamos buscando a qualidade dos produtos e a Setas tem sido nossa grande parceira na realização das capacitações”, declara a secretária.

Atualmente 80 mulheres de Aliança já se reúnem em associação, que funciona como uma central de compras, garantindo ao grupo preços de atacado na aquisição de matéria prima. Para Sonja o grande desafio no momento é transformar a associação em uma central de vendas para promover a escoação dos produtos. A secretária explica: “Nosso municipio é pequeno e temos dificuldade para vender os produtos, mas estamos elaborando estratégias para alcancar mercado em municipio vizinhos.”

Os cursos e as reuniões da associação tem gerado expectativa nas mulheres de Aliança. A artesã Luiza Batista participou da segunda etapa da capacitação e conta seus planos: “Eu já trabalho com artesanato, mas amei os cursos, aprendi novas coisas e agora quero montar uma oficina”.

Apesar da geração de renda ser o principal objetivo das capacitações, para alguns a atividade vai além. É o caso da aluna Maria Marlene, ela conta que o artesanato se transformou em uma terapia. Com a doença do pai e a decorrente necessidade de cuidados, Marlene foi se sentindo desgastada emocionalmente e o curso foi uma oportunidade de distração. “No meu caso o curso vai ajudar a melhorar a renda e me faz sentir melhor”. Explicou.

A Setas realiza os cursos de acordo com a solicitação das prefeituras municipais e associações. Segundo a secretária da pasta, Dolores Nunes, a prioridade é atender os municipios que já tenham um grupo de mulheres se reunindo em associação ou que tenham interesse em aperfeiçoar técnicas de artesanato. “Nosso público são os beneficiados de programas sociais, pessoas que desejam uma oportunidade para sair da situação de vulnerabilidade social, por isso sempre procuramos trabalhar paralelamente as políticas de assistência social e trabalho”. Completa Dolores Nunes.

As prefeituras e associações interessadas em solicitar os cursos podem entrar em contato pelos números 3218-1959 ou 3218-1954 junto à Diretoria de Qualificação e Geração de Renda da Setas.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Setas