Cultura

Foto: Emerson Silva

“Esta é a primeira festa que está acontecendo na comunidade desta maneira, está tudo muito lindo”. Foi com estas palavras que a presidente da Associação dos Artesãos e Extrativistas de Mumbuca, Josilene Tavares, definiu a cerimônia de entrega do resultado do Projeto Capim Dourado – Trançando a Tradição, no povoado do Mumbuca, na última sexta-feira, 17.

O evento contou com uma vasta programação, que incluiu a exibição do vídeo documentário produzido durante o Projeto e manifestações artísticas, como o show do músico J. Bulhões e da dupla da comunidade do Mumbuca, Maurício e Arnon, tocando violas de buriti. A população do Povoado do Mumbuca também pôde conferir a exposição fotográfica “Capim Dourado – Trançando a Tradição”, que retratou momentos especiais de todo o trabalho de inventário.

Em seu discurso, o presidente da Fundação Cultural do Tocantins, Diomar Naves, ressaltou a importância do capim dourado para o Estado. “Realizar este tipo de projeto irá fazer com que o Povoado do Mumbuca não tenha apenas fama, mas sim tenha subsídios para que se possa angariar recursos para que todos que moram aqui tenham uma vida digna. O capim dourado é vitrine do Tocantins para todo o mundo e temos que preservar a tradição deste tipo de artesanato”, afirmou o presidente.

Nas próximas semanas, será entregue para cada família do povoado do Mumbuca um kit contendo um exemplar do vídeo documentário, um catálogo com a árvore genealógica e texto sobre a formação da comunidade e processo de produção das peças de artesanato em capim dourado. A entrega do resultado do Projeto Capim Dourado – Trançando a Tradição abriu a programação da tradicional Festa da Colheita do Capim Dourado, que termina nesta segunda-feira, 20.

“Capim Dourado – Trançando a Tradição”

O projeto teve início em julho de 2009 e foi dividido em seis etapas, sendo a última realizada no mês de junho deste ano e consiste no inventário do saber fazer dos artesãos do Mumbuca, no que diz respeito à arte de costurar o capim dourado e transformá-lo em peças artesanais.

Neste período, foram visitadas 32 famílias; captadas imagens para a produção de um vídeo documentário; realizadas entrevistas com moradores da comunidade; feito o acompanhamento da colheita do capim dourado, além da realização de palestra de educação patrimonial com alunos e professores da comunidade. Foram envolvidas diretamente cerca de 130 pessoas entre artesãos e suas famílias.

Para a realização do Inventário, foram aplicados R$ 177.625,00, sendo R$ 142.100,00 provenientes do Fundo Nacional de Cultura e R$ 35.525,00 de contrapartida do Governo do Estado, por meio da Fundação Cultural.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Fundação Cultural