Cultura

Foto: Divulgação

Warlla Christye e Mercky Miranda tiveram suas propostas de arte-educação contempladas pelo edital para o Programa Mais Cultura de Apoio a Microprojetos Amazônia Legal. As arte-educadoras vão desenvolver oficinas nos municípios tocantinenses de Pau D’arco e Aparecida do Rio Negro durante o ano de 2011.

Depois de destacaram-se no projeto Telinha de Cinema, tendo os filmes que dirigiram e produziram nos cursos da Casa da Árvore participado de vários festivais, as meninas agora vão multiplicar o conhecimento adquirido em localidades onde a inclusão digital e a produção audiovisual precisam ser inseridas.

“O fato de ter sido aluna do projeto influenciou bastante na questão de formar meu aprendizado, foi através do projeto que busquei me aprimorar em edição e redes sociais. Com isso vi que poderia ser também uma multiplicadora de conhecimento e passar para outras pessoas o que eu aprendi com o projeto e o que eu desenvolvi por conta própria”, diz Warlla.

O projeto dela tem o objetivo de trabalhar com jovens de 17 a 29 anos, durante quatro meses, as técnicas de audiovisual para desenvolverem jornal on-line e vídeos informativos para internet, por meio da elaboração de textos jornalísticos e da produção e edição de imagens. Em seguida, ela ministrará oficinas de criação e uso de redes sociais, abrangindo as plataformas ning, blogger, wordpress, twitter e facebook.

O projeto da Mercky tem o objetivo de capacitar jovens de 17 a 29 anos para que entendam a linguagem do cinema, seus elementos e instrumentos, e possam expressar suas idéias e desenvolver a criação coletiva para a realização de curtas metragens. O resultado final do projeto será apresentar em praça pública, aberto a toda comunidade da cidade, uma mostra de curtas com os vídeos produzidos pelos alunos. “Resolvemos passar adiante tudo o que aprendemos no Telinha de Cinema. Como eu gosto mais de cinema e a Warlla de redes sociais, pensamos em dois projetos. Fomos amadurecendo a idéia, pedimos ajuda ao Aluísio (Presidente da Casa da Árvore) e ele, de cara, adorou as idéias. Aí ele e a Warlla fizeram juntos um micro-projeto e depois a Warlla me passou o que tinha aprendido”.

“Com as oficinas, a comunidade poderá criar uma rede de pessoas dedicadas a e experimentar novos processos educativos na sociedade em rede. É preciso intensificar o senso crítico das pessoas para que se percebam autônomas em relação ao processo de construção do conhecimento”, sintetiza Warlla. Mercky, por sua vez, finaliza: “Espero que assim como eu me apaixonei pelo audiovisual depois de ter feito os cursos da ONG, os meus alunos de Aparecida também gostem da arte e até pensem nela como uma profissão no futuro”.

Atualmente Merck e Warlla integram a equipe de desenvolvedores de jogos educativos e cinema de animação Telinha Animada, uma parceria do GEDJA e da Casa da Árvore. Merck é responsável pelas dinâmicas envolvendo edição no projeto “E seu eu fosse o autor? “, uma parceria da ONG com o Instituto EDP. Já Warlla embarca na próxima semana para Porto Velho – RO, onde vai coordenar as atividades de produção do projeto Telinha na Escola, uma parceria da Casa da Árvore com o Instituto Vivo e o Governo do Estado de Rondônia.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Casa da Árvore Projetos Sociais