Cultura

Foto: Divulgação

Ocorrerá nesta terça-feira, no Campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em Palmas, a partir das 8h30, no auditório do Bloco III, a primeira Semana Acadêmica Indígena da UFT. O evento integra a programação do 1º Seminário de Extensão da Universidade, que vai até sexta-feira (29). Esta é a primeira vez que uma Semana acadêmica para estudantes que ingressaram por meio da cota indígena é realizada em uma universidade federal do País.

De acordo com a organização da Semana Acadêmica Indígena, o tema será "O Saber Indígena no Ambiente Universitário: uma reflexão sobre o direito à educação e permanência dos acadêmicos na Universidade". A primeira palestra versará sobre "As Políticas Indígenas no Ensino Superior", e será ministrada pelo professor da Universidade de Brasília (UnB), professor Saulo Ferreira Feitosa.

Conforme o integrante da comissão organizadora, Amaré Gonçalves Brito, da etnia krahô-kanela e que está no 8º período de Direito, "a Semana Acadêmica Indígena objetiva a interação entre os acadêmicos e também será uma reunião de avaliação da produção indígena na Universidade. Vamos avaliar os problemas, os sucessos e os avanços", pontuou o estudante.

Sônia Kaingang, também indígena e concluinte do curso de Comunicação Social pela UFT, diz que "são nesses espaços de diálogo que a academia deve desempenhar seu compromisso com os povos indígenas, propiciando o desenvolvimento intelectual dos estudantes, conforme seu projeto social e institucional, que futuramente possa afetar positivamente sua organização social, costumes e línguas". Para Sônia, "é preciso acreditar na possibilidade de uma escola indígena autônoma, com foco no Ensino Superior para Índios", pontua.

De acordo com a organização, a ideia de uma Semana Acadêmica específica para os integrantes da cota indígena - a UFT reserva 5% de suas vagas para integrantes de etnias indígenas - nasceu na realização da primeira edição do Dia do Índio na UFT, evento que foi realizado no ano passado.

Programação

Além de palestras sobre políticas indígenas, ocorrerão ainda relatos de experiências de estudantes da cota indígena, debates sobre os desafios indígenas na educação escolar diferenciada e sobre a importância de proejtos de extensão para as comunidades Indígenas e apresentação de projetos já realizados. Da programação consta também uma confraternização indígena, que ocorrerá no flutuante da Praia da Graciosa.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ UFT