Cultura

Foto: Divulgação

Em três dias de festival, de 30 de outubro a 1º de novembro, o Chico – Festival de Cinema de Palmas reuniu público superior a 800 pessoas. Muitos tiveram que assistir às exibições em pé ou sentados na grama já que a participação popular superou as expectativas da organização – e, portanto, o número de cadeiras dispostas.

O grande público, além de reafirmar a importância do festival na formação de plateia para produções independentes e de formato curta metragem, serviu também de aclamação para os vencedores da mostra competitiva.

Na 9ª edição do festival Chico, sagraram-se vencedoras as produções tocantinenses João Solidão (Júri Oficial), de André Araújo; Tempos Difíceis (Júri Popular), de Caio Bretas; e Movimento Junino (Vídeo de Bolso), realizada por alunos do projeto Telinha de Cinema: Igor Lourenço, Evandro Junior, Anderson Dias.

Receberam também o Troféu Chico 2010 os filmes brasileiros Vela ao Crucificado (Júri Oficial), filme do Maranhão, dirigido por Frederico Machado; e Cortejo Negro (Menção Honrosa), filme do Rio Grande do Sul, dirigido por Diego Muller.

A 9ª edição do Chico foi realizada em Taquaruçu, no Canto das Artes, com uma ampla programação paralela à mostra competitiva, destacando-se os shows de keila Lipe, Genésio Tocantins, Braguinha Barroso, Macaúbas Blues Band, Nego D'água e Asteroid 66, realizados após a exibição dos filmes.

O festival Chico é uma realização do CIM - Centro de Imagem e Som. Em sua 9ª edição teve também como realizadores o Canto das Artes e Publicult, como parceiros o Sesc Tocantins e ONG Casa da Árvore e como apoiadores a UFT – Universidade Federal Tocantins, GM Viagens, Vivo e Dap2Web.

Agora, as expectativas se voltam para 2011, quando o Chico relembrará sua trajetória de uma década de incentivo ao audiovisual tocantinense, estimulando produções ao abrir espaço a novos autores, diretores e técnicos e ao formar plateias para seus filmes.

Fonte: Assessoria de Imprensa