Cultura

Foto: Fábio Souza

A versão do filho de Guilhermina Ribeiro, a Dona Miúda, sobre a causa da morte da artesã por um ataque cardíaco foi confirmada pelo boletim de óbito do Hospital Geral de Palmas (HGP). O ataque foi causado por um desequilíbrio ácido-básico e ainda obstrução intestinal conforme está atestado, segundo a Assessoria de Imprensa do hospital.

Conforme o Hospital Geral de Palmas informou ao Conexão Tocantins no final da tarde desta quinta-feira, 11, a artesã já chegou ao hospital debilitada em razão de um tumor cancerígeno no fígado.

Dona Miúda faleceu antes de cirurgia que estava agendada para hoje no Hospital. O médico que a atendeu foi Pedro Gonzalez, como informou o HGP. A artesã estava também com neoplasia no colo do útero.

O filho de Dona Miúda relatou que a artesã estava abatida nos últimos dias e piorou o estado de saúde ontem quando os familiares a deslocaram da comunidade quilombola do Mumbuca na região do Jalapão.

O vereador informou no início da noite que o corpo de Dona Miúda deve se deslocar de Palmas para a comunidade Mumbuca apenas à noite no carro da funerária. A previsão de chegada é no início da madrugada.

Os familiares não tiveram como fazer um velório na capital para receber as manifestações de pesar já que o corpo seguirá de carro e atrasaria o sepultamento previsto para o final da tarde nesta sexta-feira, 12.

“Estamos recebendo manifestações de pesar de várias pessoas que estão nos ligando lamentando a morte de minha mãe”, disse. O filho de Dona Miúda informou ainda que um ônibus com vários amigos e familiares já se deslocou para a comunidade onde será feita o velório.

Repercussão

Várias autoridades políticas e comunitárias se manifestaram através de nota de pesar pelo falecimento de Dona Miúda que tinha 82 anos. A artesã foi precursora do artesanato com o Capim Dourado o que repercutiu inclusive em vários países.