Estado

A operação Maet está acontecendo nesta quinta-feira, 16, e apura possíveis ações de corrupção no judiciário tocantinense.

O desembargador Liberato Póvoa chegou na Polícia Federal por volta das 11h20 minutos nesta quinta-feira, 16.Um assessor do desembargador também esteve no local acompanhando a movimentação e o depoimento do magistrado que chegou ao local pelas portas do fundo.

O assessor do desembargador Liberato Póvoa, Dagoberto Pinheiro, foi o primeiro a ser liberado do depoimento na Polícia Federal por volta das 16h30 min . Ele saiu pela porta da frente sem falar com a imprensa.

Policiais federais fizeram vistoria na residência de Liberato mais cedo e ainda nos computadores de seu gabinete no Tribunal Regional Eleitoral.

A desembargadora Willamara Leila chegou ao local após Liberáto e também entrou pelos fundos para prestar depoimento.

No início da tarde os policiais saíram do TJ e a corte deve ser liberada para entrada dos servidores.

Advogados

Outros três advogados também estão na PF desde o período da manhã para prestar informações e serem ouvidos.Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil e da Associação dos Advogados também acompanham no local.

Serão ouvidos na PF: Antônio Calçado, Valker de Monquemor Quagliarella e Germino Moreti.

Operação em Araguaina

Em Araguaina, também estão sob custódia da Polícia Federal os advogados Joaquim Gonzaga Neto e José Carlos Pereira. Não há ainda informações se eles serão ouvidos no município ou serão transferidos para Palmas.

Segundo informações na residência do advogado de Palmas, Antônio Calçado foi apreendido dinheiro hoje pela manhã mas o valor ainda não foi revelado pela Polícia.

Comunicado oficial

A Polícia federal ficou de divulgar às 14 horas um balanço oficial da operação nesta manhã, conforme informação ao Conexão Tocantins. O balanço vai revelar ainda o que foi encontrado nas residências dos desembargadores e escritórios de alguns advogados.

No iinício da noite, os desembargadores deixaram a sede da PF.

Entenda o caso

À pedido do Superior Tribunal de Justiça, foi dado início, na manhã desta quinta-feira, a operação de combate à corrupção, conhecida como “Operação Maet”.

No Tocantins,a justiça já realizou o procedimento conhecido como condução cursitiva contra advogados de Araguaina e Palmas. Na capital, inclusive, estão sob investigação os desembargadores Liberato Póvoa e Carlos Sousa, além da presidente do Tribunal de Justiça, Willamara Leila.

Até o momento, dois advogados estão sendo ouvidos na sede da PF em Palmas e mais dois na cidade de Araguaina.

(Em instantes mais informações..)