Estado

Na noite da última sexta-feira, 14, o avião que levava Gabriel Marques Siqueira Campos, neto do governador do Tocantins, e mais 5 pessoas caiu próximo a cidade de Senador Canedo em Goiás.

As informações sobre a causa do acidente é que o avião se chocou contra um morro devido ao mau tempo.
Informações extra-oficiais, no entanto, dão conta de que pode ter havido falha humana por parte do piloto da aeronave. De acordo com as informações, o morro no qual o avião modelo King Air 200 se chocou tem aproximadamente 1.200 metros de altitude e fica próximo ao local de pouso da aeronave.

Em condições climáticas adversas, a orientação é que o comandante conduza a aeronave através de aparelhos de navegação. Contudo, segundo informações, não foi isto que aconteceu.

Chovia no momento da colisão eo piloto estaria no modo visual da aeronave quando começou os procedimentos de aproximação para pouso. Informações dão conta que o avião estaria voando baixo demais e acabou colidindo contra o Morro do Cristo como é conhecido o local, em Senador Canedo.

Cenipa não confirma

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã deste sábado, 15, no entanto, o Major Raul Moreira Neto, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), informou que ainda não existe uma definição acerca da causa do acidente em Senador Canedo.

De acordo com o major da Aeronáutica, existe uma equipe do Cenipa trabalhando no local da queda do avião, mas que informações neste momento do início das investigações são levianas. “Nós ainda não podemos confirmar essas informações”, disse.

Segundo Moreira Neto, o prazo para se ter mais dados sobre as causas do acidente que vitimou o neto do governador do Tocantins, é de 30 dias para a elaboração do relatório inicial e de até um ano para a divulgação do relatório final.

(Atualizada às 11:27)