Polí­tica

Foto: Arquivo Conexão Tocantins Arlindo Almeida, Membro do diretório do PT Arlindo Almeida, Membro do diretório do PT

O membro do diretório do PT e ex-deputado estadual, Arlindo Almeida manifestou seu posicionamento acerca da escolha do partido na eleição da Assembleia Legislativa.

Se a legenda não definir em qual dos grupos vai compor, a decisão será tomada em conjunto pela executiva do partido. Da oposição o candidato é Sandoval Cardoso (PMDB).

Para Arlindo, a legenda tem que compor com a bancada do governo. “Tanto Moreira (Raimundo Moreira) como Luana (Luana Ribeiro) são competentes para o cargo de presidente”, salientou, afirmando que pretende votar no alinhamento com os governistas.

"Embora a executiva tenha poderes para decidir, se chegar até lá na reunião do diretório no sábado, vou defender e votar pela composição com o governo", frisou.

O petista frisou ainda que tudo o que está sendo acordado junto ao secretário de Planejamento e Modernização, Eduardo Siqueira Campos será cumprido. “O PMDB tem usado o PT sistematicamente, diferente da intenção dos Siqueira Campos”, garantiu.

“É hora do PT devolver ao PMDB o gosto amargo da traição”, completou, relembrando o pleito de 2006. Arlindo disse que reconhece que a autonomia de decidir são os três deputados, Solange Duailibe, Amália Santana e José Roberto Forzani e do presidente do partido, Donizeti Nogueira. “Não estou falando em nome do partido, minha opinião é pessoal”, salientou.

O posicionamento dos três parlamentares da legenda, segundo Arlindo, será de acompanhar o que o partido definir. “Quero ver o PT sintonizado com Siqueira”, frisou.

O partido ainda não divulgou com quem irá compor.