Cultura

Foto: Arquivo

Acontece no próximo dia 5 de fevereiro, sábado, o II Tributo ao Mestre Bimba, evento em homenagem ao mestre criador e difusor da capoeira regional para todo o mundo. O tributo acontecerá no Centro de Direitos Humanos de Palmas, localizado na quadra 306 Sul (antiga Arse 32) e contará com a participação de professores, alunos e mestres de todo o Tocantins.

Na programação do evento existem espaços destinados ao conhecimento da história do mestre-fundador da capoeira regional, com exibição de vídeos e fotos de Mestre Bimba, além de palestra com um dos mestres de maior renome da capoeira mundial, Mestre Squisito (presidente do grupo Terreiro Capoeira).

Além de teoria e história da capoeira, o evento conta com uma parte prática com treinos de sequência de golpes criadas por Mestre Bimba, além da combinação de arremessos, conhecida como Cintura Desprezada.

Ao final do evento, será realizada uma roda de confraternização onde todos os presentes poderão botar em prática os conhecimentos adquiridos no decorrer de todo o dia em homenagem ao nome maior da capoeira regional, Mestre Bimba.

O valor das inscrições para o II Tributo ao Mestre Bimba podem ser feitas na hora e local do evento e contam com valor de R$ 5,00 para crianças até 15 anos e R$ 20,00 para jovens e adultos. Vale ressaltar que cada professor de capoeira que levar pelo menos três alunos terá isenção de sua taxa de inscrição.

Para maiores informações os participantes poderão ligar para os organizadores do evento, professor Asa Delta (8407 1425), ou Raphael Cego (9282 2828).

Mestre Bimba

Manoel dos Reis Machado nasceu em Salvador, no ano de 1900, desde cedo Mestre Bimba se dedicou à arte da luta dos escravos, tendo como mestre, Bentinho (capitão da companhia baiana de navegação).

No decorrer de seu aprendizado, Bimba percebeu que a capoeira precisava mudar para restabelecer seus valores culturais e de luta. Foi nesta época que ele misturou a capoeira tradicional da época, conhecida como Angola, com elementos de batuque (luta característica dos negros do nordeste brasileiro), criando, assim o que conhecemos até hoje como capoeira regional.

Passaram pelas academias de Mestre Bimba pessoas de destaque no cenário da capoeira nacional, como Mestre Itapuã, Mestre Pombo de Ouro, Dr. Decânio, o jornalista e sociólogo Muniz Sodré (conhecido na capoeira como Americano), entre outros.

Mestre Bimba, iludido com promessas de melhora de vida para sua grande família, se muda para Goiânia no final de 1972, vindo a morrer no dia 5 de fevereiro de 1974, depois de mais de 60 anos dedicados à luta dos negros que conseguiu englobar uma sociedade branca, tornando a capoeira uma arte de igual valor pra toda uma nação.