Saúde

A Secretaria da Saúde de Palmas (Semus) vai entregar 10 certificados de “Cidadão Vigilante” aos moradores que melhor mantiveram seus imóveis livres de focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. A entrega será feita nesta sexta-feira, dia 28, às 16 horas, nas residências dos próprios moradores da quadra 1106 Sul. A comissão julgadora vai se concentrar na sede da Unidade de Saúde da Família (USF) da 1106, localizado na alameda 23, lote 09, de onde sairá de casa em casa, entregando os certificados.

“Com a entrega desses diplomas, queremos reconhecer o esforço do cidadão que cumpre com seus deveres em manter seus imóveis livres de focos da dengue e ao mesmo tempo, incentivar outros moradores a seguirem o exemplo” - explica Samuel Bonilha, secretário Municipal da Saúde.

Comissão Julgadora

De acordo com o secretário, a seleção dos imóveis foi feita por uma comissão formada por agentes de controle de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), agentes comunitários de saúde do Programa de Saúde da Família (PSF), pessoas da comunidade local, fiscal da Vigilância Sanitária (Visa) e agentes da Polícias Civil e da Guarda Metropolitana. “ Esses integrantes têm todas as condições técnicas para avaliar e escolher os moradores exemplares que mantêm suas casas livres de água parada e de resíduos orgânicos”, justifica Bonilha.

Critérios de Seleção

Segundo Cláudio Gilberto Garcia, diretor de Vigilância em Saúde, para ser selecionado o imóvel deve estar de acordo com as normas de vigilância do CCZ, como não apresentar água parada ou material reciclável nos quintais, bem como resíduos de matéria orgânica e galhadas. “Devem estar também com todos os ralos, caixas d'água e de gordura tampados, não poderá ter ligação clandestina para boca de lobo ou calhas com água acumulada” - explica.

Raio X da 1106 Sul

Levantamento realizado por técnicos do CCZ revela que na 1106 Sul o Índice de Infestação Predial (IIP) é de 1,1%. A quadra possui 1.375 imóveis, sendo que 80% dos focos positivos de dengue estão dentro das 1.247 residências existentes no local, classificados como foco móveis tipo B (garrafas, vasilhames para tratamento de cães, baldes, galões) e como tipo D2 (lixo doméstico). Os demais imóveis são 92 pontos de comércio, 14 terrenos baldios, sete pontos estratégicos (borracharias, depósito de material reciclável) e outros 15 (como escolas, igrejas ou imóveis em construção).

Fonte: Ascop