Polí­cia

Foto: Divulgação

A presença ostensiva da Polícia Militar do Tocantins em Palmas e no interior do Estado, ação que se configurou já no primeiro mês de 2011, vem mudando a realidade, tanto da Corporação, quanto da sociedade. De acordo com o comandante-geral da PMTO, coronel Marielton Francisco dos Santos, essa será “uma prática constante, para que se instaure definitivamente no Tocantins uma cultura de paz e que o cidadão possa viver e trabalhar com segurança”, diz o comandante.

Os últimos dados apresentados (janeiro 2011) pela PMTO revelam uma acentuada queda no número de delitos praticados no Estado, sejam estes isolados ou ligados a facções ou a grupos de criminosos. Janeiro trouxe números positivos, segundo o comandante-geral, “mas nada que nos faça diminuir o ritmo de trabalho, pois a nossa polícia continuará nas ruas atendendo a população e ajudando a coibir os crimes que ainda afligem a comunidade. É um trabalho que não cessará, pois todos os dias a sociedade precisa de respostas rápidas”, diz o coronel Marielton.

Nesse período, a PM mobilizou 21 operações (na Capital e no interior). Essa mobilização revelou a diminuição das ocorrências, principalmente quando comparada ao mesmo período de 2010. No ano passado, por exemplo, nos principais municípios do Estado, segundo dados do SIOP (Sistema Integrado de Operações), foram 23 furtos a veículos, enquanto que em janeiro de 2011 foram apenas 07 (redução de 69%); furtos a comércios foram 60, e agora em 2011 baixou para 43, reduzindo 28% esse tipo de delito.

Em Palmas, considerando o mesmo período, as reduções das ocorrências apontam para um futuro promissor. As apreensões de veículos subiram de 2 para 6; de entorpecentes, de 2 para 11; a violência doméstica caiu de 140 para 137; e os homicídios também: em janeiro/2010 foram 6 mortes, e em 2011 foram apenas 2. Em todo o Estado foram feitas 42 prisões nesse período, por assalto a bancos, estelionato, tráfico de drogas, porte ilegal de armas de fogo, homicídios, entre outros. “Nós não vamos dar trégua a nenhum criminoso. Lugar de criminoso é na cadeia. Esse é o nosso foco”, adianta o coronel Marielton, frisando que o policiamento nas fronteiras do Estado será redobrado.

De acordo com o comandante geral, a meta é intensificar o combate, principalmente, aos furtos a residências e ao comércio. “É determinação do governador Siqueira Campos que essa prática seja banida do Estado. E é nesse sentido que estamos trabalhando, para profissionalizar o nosso efetivo e que a polícia não saia das ruas”, adiantou coronel Marielton.

Fonte: Assessoria de Imprensa Polícia Militar