Polí­tica

Foto: Divulgação

Em entrevista concedida após o encerramento da sessão ordinária da tarde da última quarta-feira, 16, o deputado Raimundo Moreira (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa, confirmou que a economia da Casa com os cortes orçamentários poderão chegar a R$ 1 milhão por mês.

Serão cortes, segundo Moreira, de cargos e gratificações que não se enquadram nas remunerações mensais dos servidores da AL. “Cortamos ao longo de todos estes dias, 62% dos cargos. São cargos ligados à Mesa Diretora, comissionados, coordenadorias, diretorias extinguimos algumas, verbas de gabinete”, completou.

O presidente ainda frisou ainda que as reduções que serão apresentadas ao plenário da AL nesta quinta, atingirão também os funcionários de carreira da Casa de Leis. Moreira afirmou que serão cortadas as gratificações por produtividade dos servidores. “Isso foi um consenso de todos os deputados desta Casa”, disse.

Só de pagamentos de folhas salariais, de acordo com o presidente da AL, são gastos quase a metade do orçamento da Casa. “Os servidores efetivos, a folha deles é quase a metade das despesas da Casa, por causa dos subsídios que não podemos mexer. Já a gratificação por produtividade não faz parte dos vencimentos e por isso, podemos reduzir”, completou.

Moreira informou, ainda que a decisão de cortar gastos no setor de pessoal e na folha de pagamento dos funcionários da Assembleia, não foi de exclusividade da presidência da Casa. “Não foi ato da presidência, ou de deputado A, B ou C. Tudo isso foi amplamente discutido na Casa”, concluiu.