Polí­tica

Foto: Divulgação

Depois de ter feito campanha no grupo do ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) no ano passado, o PHS, partido nanico no Estado, que tem à frente o Tenente Célio Carmo de Sousa, pode ser o primeiro partido a aderir à base do governador Siqueira Campos (PSDB).

Mesmo sem representação na Assembleia Legislativa o partido pode abrir a temporada de adesões para o governo. “Temos representação no congresso nacional e somos um partido o que nos dá condições de fiscalizar e fazer a defesa da sociedade”, afirmou o presidente.

A tendência do partido é abrir o diálogo com o governo tendo em vista ainda as eleições municipais do próximo ano quando várias alianças serão feitas. “Muitos companheiros estão sugerindo a proximidade, o partido é um instrumento eficaz na luta pelos direitos da população.Temos que ver ainda se o governo tem intenção de aumentar sua base”, disse.

O presidente defendeu ainda a participação dos partidos aliados no governo. “Eu não sei se o partido terá espaço pelo que temos visto. Só que hoje não se governa mais sem os aliados dos partidos”, disse.

A opção pessoal do presidente é continuar sendo um partido de oposição ao governo, no entanto, ele disse que não será um impecílio caso a maioria decida compor com Siqueira.

Hoje a legenda tem pouco mais de mil filiados no Estado.

PP e PSB também

Outro partido que também deverá aderir oficialmente na base do governo do Estado é o PP. Desde a campanha a legenda está dividida e as chances aumentaram com a adesão do único deputado estadual da legenda, Raimundo Palito na base de Siqueira.

Sendo assim, o presidente regional do partido, deputado federal Lázaro Botelho pode ser o primeiro a aderir na bancada federal.

Outro partido que também conversa com o governo, segundo as informações, é o PSB. Aliados da legenda estariam tentando junto ao deputado federal Laurez Moreira trazer o partido para a base governista.

Na Assembleia o partido tem como representante, Wanderlei Barbosa que já declarou não ter pretensões de ir para a base do governo.

As articulações do PP e PSB ainda são de bastidores mas estariam avançadas, segundo informou uma importante fonte Siqueirista.