Meio Ambiente

Foto: Ascom Naturatins Operação visou garantir visitação de pessoas aos pontos turísticos de forma ordenada e sustentável Operação visou garantir visitação de pessoas aos pontos turísticos de forma ordenada e sustentável

Cerca de 800 pessoas optaram por um carnaval mais “natureza” e buscaram nos atrativos do Jalapão essa alternativa. E para garantir que a visitação aos pontos turísticos ocorresse de forma ordenada e sustentável, o Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins, em parceria com a Cipama – Companhia Independente da Polícia Militar Ambiental, promoveu, entre os dias 04 e 09, a operação SOS Jalapão.

Segundo o presidente do Naturatins, Alexandre Tadeu, a ação teve o intuito de conscientizar e orientar os visitantes sobre a conduta adequada em Unidades de Conservação. Para os trabalhos, a operação contou com uma equipe composta por 17 pessoas, dentre elas educadores, fiscais, agentes da Cipama e representantes da AJACA – Associação Jalapoeira de Condutores Ambientais.

Durante a operação a equipe se dividiu em quatro grupos de revezamento nos pontos turísticos mais visitados, a Cachoeira da Velha e Prainha, Fervedouro, Cachoeira da Formiga, e Dunas.

Os técnicos orientaram os turistas sobre a coleta e destinação do lixo, prevenção às queimadas, conservação dos mananciais e cuidados específicos de cada atrativo, como a capacidade de carga do Fervedouro, as trilhas de acesso às Dunas entre outros.

Outros trabalhos realizados foram a coleta de lixos lançados por visitantes nas estradas de acesso aos pontos turísticos e atendimentos a denúncias por infração ambiental. Na ocasião foram emitidos quatro autos por desmatamento em Área de Preservação Permanente, extração de madeira em Área de Proteção Ambiental; e dano a Unidades de Conservação.

A operação destinou-se a dar suporte à equipe do Parque Estadual do Jalapão durante o feriado prolongado, quando há um maior fluxo de visitantes na região.

Dentre os visitantes, havia pessoas de diversas regiões brasileiras, como Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pará.

Fonte: Secom