Saúde

Foto: Marcos Vinicius

A Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) promove mais um mutirão do Programa Cidadão Vigilante de combate à dengue e ao calazar, nesta terça-feira, dia 05 de abril, no Jardim Aureny I.

Agentes de combate a endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) vão vistoriar todos os imóveis e terrenos baldios do setor em busca de criadouros do Aedes Aegypt e do mosquito palha, vetor do calazar. “O mutirão se encerrará somente dia 07 de abril, para que todos os possíveis criadouros do mosquito da dengue e ambientes com matéria orgânica em decomposição do setor sejam removidos”, explica José Luiz Peres, supervisor de Endemias da Região Sul.

Força-tarefa

Uma equipe de roçagem e limpeza da Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos (SEMASP) realizará a palitação das áreas públicas. Também participam do mutirão um fiscal sanitário e um fiscal de obras e posturas para orientação de proprietários de imóveis em condições insalubres, além de voluntários da Associação de Moradores do Aureny I e do Conselho Local de Saúde.

Ingresso Forçado

Uma equipe do CCZ acompanhada de guardas metropolitanos e um chaveiro realizarão o ingresso forçado em imóveis fechados, indicados pelos agentes omunitários de saúde como imóveis abandonados.

“Nossa maior preocupação é a ausência de um responsável pelo imóvel, que pode conter recipientes recebendo acúmulo da água da chuva há dias e permitindo condições para a reprodução do mosquito”, relata Cláudio Gilberto Garcia, diretor de Vigilância em Saúde.

Cidadão Vigilante

Como reconhecimento do esforço de moradores que se mantêm vigilantes no combate a dengue, uma comissão julgadora participará do mutirão para selecionar imóveis em condições exemplares e certificá-los com o título de Cidadão Vigilante. “É uma homenagem simbólica de reconhecimento do trabalho de tantos palmenses que nos ajudam nessa batalha contra o mosquito da dengue”, explica Samuel Bonilha, secretário da Saúde.

Critérios de julgamento

Não apresentar materiais propícios ao acúmulo de água e matéria orgânica em decomposição a céu aberto, além de vedação em caixas d'água, ralos e caixas de gordura foram alguns dos critérios observados pela comissão julgadora na eleição dos imóveis que dão exemplo de prevenção nesta quadra.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesau