Campo

Foto: Frederick Borges

A senadora Kátia Abreu (DEM) acompanhou o produtor rural Edmar Correa de Oliveira, presidente do Sindicato Rural de Pedro Afonso, e os representantes da COAPA – Cooperativa Agroindustrial do Tocantins em audiência com o governador Siqueira Campos. Participaram os Conselheiros da Coapa, Virgílio Amaral, Moacir Catabriga, Evanis Roberto Lopes, José Edgar Castro Andrade e Ricardo Khouri, presidente da OCB/TO – Organização das Cooperativas do Brasil e do SESCOOP/TO – Sindicato das Cooperativas. No encontro, eles solicitaram proposta de renegociação de dívida contraída pela Cooperativa junto ao Governo do Estado e ao Banco do Brasil, quando instalou o projeto no Município de Pedro Afonso para produção de soja.

O valor da dívida, segundo Virgílio Amaral, conselheiro da Coapa, ainda está sendo levantado. “Nós poderemos fazer uma proposta conjunta com o Governo, porque nossa intenção é pagar para obtermos incentivos”, garantiu Virgílio.

O governador Siqueira Campos disse aos produtores que o Governo não colocará dificuldade em trabalhar em parceria, mas enfatizou a importância em gerenciar a cooperativa com a preocupação em manter a credibilidade da entidade. Siqueira Campos lembrou que o PRODECER foi iniciado em sua gestão através do Programa de Cooperação Nipo-Brasileiro para o Desenvolvimento dos Cerrados, prevendo a necessidade de agregação de valor à produção da soja no Estado.

Os produtores saíram satisfeitos da reunião e aguardam levantamento da Secretaria da Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário sobre o endividamento da Coapa para a continuidade da discussão. O Governador determinou à equipe que este levantamento seja feito o mais rápido possível.

PRODECER III - Em fase de implantação do projeto, o programa cobre uma área que corresponde a 80 mil hectares nos estados do Maranhão e Tocantins. O investimento para a fase inicial foi de US$ 138 milhões. Os últimos acertos para o plano de expansão do projeto, atingindo os Estados do Piauí, Pará e Rondônia, foram concluídas no final do mês de abril de 1997 pelo Ministério da Agricultura. Para o PRODECER III foram destinados US$ 850 milhões, 60% do custeio do programa virão do governo japonês e o restante será de responsabilidade do governo brasileiro.

Fonte: Secom