Campo

Foto: Divulgação

A recém-criada Subsecretaria de Produção de Energias Limpas, da Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, apresentará aos participantes da Agrotins as potencialidades de produção de energias renováveis do Tocantins. A feira, que acontece entre os dias 10 e 14 de maio, contará com atividades voltadas à produção de energia solar, energia eólica, do biodiesel, da biomassa (a partir de matéria orgânica de origem animal e vegetal) e do etanol. Ao todo, serão apresentadas 19 tecnologias para a geração de energias limpas.

De acordo com o subsecretário de Energias Limpas, Ailton Araújo, as atividades sobre a produção de energias renováveis serão voltadas não apenas para os produtores rurais, mas a toda a sociedade. “Queremos envolver não só o pequeno, médio e grande produtor, mas o público em geral para desmistificarmos o que é energia limpa e apresentarmos as potencialidades do Estado”, afirma Ailton Araújo.

De acordo com o diretor de Energias Limpas, Lauro Valadares, é possível produzir energia em localidades rurais, através dos projetos de energia renovável. “O Tocantins produz muita energia? Produz, mas essa produção será pouca em razão do crescimento esperado para o Brasil nos próximos anos. Por isso precisamos aproveitar bem nossas fontes de energia limpa, como a biomassa, o sol, o vento e as cachoeiras”, avalia Lauro.

Atualmente, o Tocantins conta com três usinas de etanol instaladas (em Arraias, Gurupi e Pedro Afonso), duas usinas de biodiesel (uma em Paraíso e a outra entre Palmas/Porto), uma usina de biomassa em Porto Nacional (em fase final de instalação) e quatro usinas hidrelétricas instaladas (Lageado, Peixe, São Salvador e Estreito). “O Tocantins tem um grande potencial em energia limpa e queremos apresentar isso aos visitantes da feira, por meio de palestras e demonstrações”, diz Ailton.

A Agrotins 2011, que acontecerá no Centro Agrotecnológico de Palmas, deverá atrair cerca de 50 mil pessoas e R$ 70 milhões em movimentação de negócios. A feira deste ano terá o foco na discussão do desenvolvimento sustentável, tendo como tema: “Agropecuária de Baixo Carbono”.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Agrotins