Campo

Foto: Divulgação

Agricultores do projeto São João, em Porto Nacional, adquiriram novos equipamentos de pulverização, com a finalidade de otimizar a produção de fruticultura no Tocantins. Os pulverizadores motorizados comprados pelos pequenos produtores serão importantes para o projeto de fruticultura irrigada, que está sendo desenvolvido no local. Alguns deles já calculam o aumento da produção.

Na manhã desta quarta-feira, 20 de abril, técnicos da Seagro – Secretaria da Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, da Ferpam (empresa que comercializa os pulverizados motorizados) e da Ecoplan Engenharia (empresa responsável pela gestão do São João) realizaram um dia de campo no assentamento. De acordo com a coordenadora da gestão integrada do projeto, Lucélia Farrari, sete agricultores do São João adquiriam os novos equipamentos, através de um financiamento do Banco da Amazônia.

O São João é um dos principais projetos de agricultura irrigada do Tocantins, que é fruto de um trabalho em conjunto do Ministério da Integração Nacional e do governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário.

Presente no dia de campo, o secretário executivo da Seagro, Ruiter Padua, ressaltou a importância do benefício aos produtores. “A tecnologia é fundamental para melhoria e aumento da produção. Com esses equipamentos, temos certeza dos ganhos que os produtores terão. Além de produzir mais, poderão gerar mais emprego, renda e contribuir com o desenvolvimento.”

Produção

Agricultores do projeto São João, em Porto Nacional, adquiriram novos equipamentos de pulverização, com a finalidade de otimizar a produção de fruticultura no Tocantins. Os pulverizadores motorizados comprados pelos pequenos produtores serão importantes para o projeto de fruticultura irrigada, que está sendo desenvolvido no local. Alguns deles já calculam o aumento da produção.

Na manhã desta quarta-feira, 20 de abril, técnicos da Seagro – Secretaria da Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, da Ferpam (empresa que comercializa os pulverizados motorizados) e da Ecoplan Engenharia (empresa responsável pela gestão do São João) realizaram um dia de campo no assentamento. De acordo com a coordenadora da gestão integrada do projeto, Lucélia Farrari, sete agricultores do São João adquiriam os novos equipamentos, através de um financiamento do Banco da Amazônia.

O São João é um dos principais projetos de agricultura irrigada do Tocantins, que é fruto de um trabalho em conjunto do Ministério da Integração Nacional e do governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário.

Presente no dia de campo, o secretário executivo da Seagro, Ruiter Padua, ressaltou a importância do benefício aos produtores. “A tecnologia é fundamental para melhoria e aumento da produção. Com esses equipamentos, temos certeza dos ganhos que os produtores terão. Além de produzir mais, poderão gerar mais emprego, renda e contribuir com o desenvolvimento.”

Produção

A partir do evento, os agricultores poderão obter informações sobre a utilização dos pulverizadores motorizados. De acordo com o agricultor Clésio Gomes Souza, os novos equipamentos proporcionarão melhores condições de produção. “Esse financiamento tem sido muito importante para nós, porque estamos investindo nas melhorias e com certeza termos uma melhor produção”, afirmou o agricultor, que investe para produzir bananas numa área de 8 hectares – em três anos a produção anual dele, com essa área plantada, deverá ser de 240.000 quilos de banana.

Atualmente, como outros agricultores do projeto São João, Souza produz variedades de hortaliças, que são vendidas nas feiras e supermercados de Palmas e região. Contudo, com o projeto de fruticultura, os agricultores poderão produzir banana, maracujá, limão e goiaba em larga escala, visando não só o mercado tocantinense, como também a exportação.

De acordo com a coordenadora de gestão integrada do projeto São João, Lucélia Ferrari, em três anos esses agricultores deverão produzir frutas em alta escala. “São apenas sete produtores que podem e vão produzir muito, gerar muita mão-de-obra”, avaliou Lucélia. Segundo ela, em três anos mais de 2.800 pessoas terão sido empregadas, graças ao projeto de fruticultura.

Fonte: Assessoria de Imprensa/

“Esse financiamento tem sido muito importante para nós, porque estamos investindo nas melhorias e com certeza termos uma melhor produção”, afirmou o agricultor, que investe para produzir bananas numa área de 8 hectares – em três anos a produção anual dele, com essa área plantada, deverá ser de 240.000 quilos de banana.

Atualmente, como outros agricultores do projeto São João, Souza produz variedades de hortaliças, que são vendidas nas feiras e supermercados de Palmas e região. Contudo, com o projeto de fruticultura, os agricultores poderão produzir banana, maracujá, limão e goiaba em larga escala, visando não só o mercado tocantinense, como também a exportação.

De acordo com a coordenadora de gestão integrada do projeto São João, Lucélia Ferrari, em três anos esses agricultores deverão produzir frutas em alta escala. “São apenas sete produtores que podem e vão produzir muito, gerar muita mão-de-obra”, avaliou Lucélia. Segundo ela, em três anos mais de 2.800 pessoas terão sido empregadas, graças ao projeto de fruticultura.

Fonte: Assessoria de Imprensa/