Polí­tica

Foto: Conexão Tocantins

Em entrevista ao Conexão Tocantins na sessão da manhã desta terça-feira, 26, na Assembleia Legislativa, o deputado Sargento Aragão (PPS) comentou sobre a suposta evasão de filiados do partido para integrarem o PSD comandado no Tocantins pela senadora Kátia Abreu.

Depois da saída do deputado federaltocantinense, César Halum do PPS, para se filiar ao novo partido da senadora, que deixou o DEM, o ex-presidente metropolitano do PPS, Abraão Lima – expulso na última semana, destacou que pretende levar cerca de 220 filiados do partido para o PSD. Aragão questionou a representatividade de Lima neste caso. “Quando ele se candidata, ele não consegue este número de votos, como ele quer levar 220 pessoas para outro partido?” questionou.

Ainda sobre Halum, Aragão voltou a destacar que foi uma grande perda para os quadros do PPS, por ter sido o primeiro representante tocantinense da sigla a se eleger para o congresso nacional. O deputado estadual frisou, no entanto, que o PPS nacional pretende correr atrás dos mandatos dos políticos que pedirem desfiliação do partido.

Aragão frisou que o Diretório Nacional do partido já entrou com pedido junto à justiça eleitoral, requerendo os mandatos dos políticos do PPS eleitos para cargos em todas as esferas do poder público. “Acho que é um direito legítimo de reivindicar, se o deputado foi eleito em uma legenda onde o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou que o mandato pertence ao partido”, completou.