Polí­tica

Foto: Ises Oliveira

Há quase cinco meses sem estar no governo o PMDB vive um momento de divisão onde precisa de uma reestruturação interna. Após questões internas o deputado federal Júnior Coimbra está provisoriamente no comando da legenda e prepara um grande evento nacional na capital com o intuito de reanimar a legenda.

O presidente negou que a legenda esteja desarticulada no Estado. “Estamos filiando muitas pessoas, o partido está seguindo, no segundo semestre faremos a eleição e um grande evento com presença de lideranças nacionais e talvez com a presença do vice-presidente Michel Temer”, frisou.

Oposição firme

Coimbra afirmou que sua postura com relação ao governo continua sendo de oposição firme e teceu várias críticas à atual gestão do governador Siqueira Campos (PSDB). “Até agora a única coisa que o governo deu conta de fazer até agora foi caixa, o governo ainda não começou”, salientou.

O deputado frisou ainda que as rodovias estaduais estão 90% danificadas. “Nunca se andou com rodovias em tão péssimas condições no Estado”, salientou. O governo já começou a reestruturação das rodovias e anunciou ainda que fará um levantamento das condições geral de todas malha asfáltica.

Outro ponto que Coimbra salientou foi com relação ao decreto de calamidade pública na Saúde. “Isso é um exagero. Essa saúde que esta aí é a mesma que ele (Siqueira Campos) fez. Dos 22 anos do Estado ele governou 11, ou seja, 50% do tempo de governo foi só dele e se não há uma saúde descente é porque ele não fez”, ponderou.

Cargos federais

O deputado confirmou que manteve as indicações na Conab, na Delegacia Federal de Agricultura e no Serviço Nacional de Processamento de dados. A indicação da Funasa, segundo o parlamentar, foi feita pela bancada de deputados estaduais do partido.

Comentando sobre o impasse entre PT e a bancada, Coimbra frisou que não tem nenhum problema de relacionamento com o presidente Donizeti Nogueira mas ressaltou que o partido combinou a divisão das indicações com os parlamentares e depois mudou.