Saúde

Foto: Divulgação

No relato do topógrafo Francisco Menezes o desapontamento de um pai de família ainda muito abalado. Emocionado, o trabalhador e morador da Aureny III em Palmas procurou o Conexão Tocantins para informar que vai entrar com uma representação contra o Hospital e Maternidade Dona Regina em Palmas.

O motivo foi a morte da esposa Alzerina Bonfim de Miranda, 39, na última terça-feira, 26, no Hospital. Francisco conta que a esposa deu entrada no Hospital para uma cesariana do terceiro filho do casal.

“Ela fez todo o pré-natal e não apontou problemas nenhum inclusive ela foi para o hospital dirigindo, ela estava bem”, salientou. Francisco afirma que aguardava o procedimento cirúrgico na recepção e logo depois que o bebê nasceu ele foi visitar a mulher no quarto.

“Quando eu entrei ela estava sorrindo, depois vi muito sangue no lençol. Avisei e as enfermeiras falaram que era normal, aí pediram para que eu saísse do quarto”, frisou.

Francisco afirma ainda que após meia hora ele foi avisado da morte da esposa em razão de uma hemorragia pós-parto. “Não era gravidez de risco, eu sei que minha esposa não vai voltar mais, só que eu quero saber o que aconteceu”, afirmou.

O marido conta ainda que solicitou que seja aberta uma sindicância no hospital para apurar o que aconteceu.

“Eu quero uma explicação melhor para que isso não venha acontecer com outras pessoas”, disse, reclamando ainda que não recebeu atenção por parte da diretoria do hospital. O bebê do casal, Pedro Miguel Menezes Miranda, passa bem e está sob os cuidados do pai.

Resposta

O Conexão Tocantins entrou em contato com o Hospital Dona Regina e a assessoria de comunicação informou que encaminhará todas as informações sobre o caso ainda hoje.