Palmas

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara Municipal, Ivory de Lira (PT), considerou equivocada a comparação entre Palmas e São Paulo, Goiânia, Rio de Janeiro, Brasília, em número de habitantes, ao refutar matéria publicada na última edição da revista Veja.

“Os repasses são constitucionais, até mesmo para dar condições de bom funcionamento aos poderes legislativos”, afirmou, lembrando que, anteriormente, o Executivo mandava quanto queria.Lembrou que um conselheiro do Tribunal de Contas do Tocantins recebe o mesmo valor que o da mesma Corte de Goiás, São Paulo e outros estados. O mesmo ocorre com os deputados federais e estaduais.

“Dividir pelo número de habitantes não existe”, disse Carlos Braga (PMDB), em aparte. “Palmas é a única capital do Brasil onde o vereador só recebe 50% do subsídio de um deputado estadual.”

Ivory lembrou que, na próxima legislatura, o número de vereadores vai aumentar de 12 para 15 ou 17. “E o repasse continuará o mesmo”, afirmou.

Para o presidente da Casa, os números da matéria não refletem a realidade de cada município. Com apenas 21 anos e uma população de 228 mil pessoas, a capital tocantinense deveria ter o seu custo por habitante comparado a cidades semelhantes em número de moradores e não com São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília etc.

Para Ivory, correto é o que foi feito na segunda parte da matéria, com o valor gasto por vereador, quando Palmas, com R$ 1,5 milhão, fica bem abaixo dos R$ 4,8 milhões, de São Paulo, e R$ 6 milhões do Rio de Janeiro, embora a tabela custo total não traga tal informação.

Disse, ainda, que, quanto ao site, a repórter da Veja Fernanda Nascimento, autora da matéria, recebeu a informação da Assessoria de Imprensa da Câmara de que o site ainda está em processo de instalação e não houve tempo hábil para inserir todas as informações que interessam ao público.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Câmara de Palmas