Polí­cia

O Ministério Público Federal no Tocantins ajuizou denúncia contra Willians Pereira da Mota pelo crime de peculato. O acusado teria se apropriado de aproximadamente R$ 165.000,00 depositados em contas poupança de clientes do Banco Postal dos Correios em Palmeirante, da qual era funcionário, com a intenção de realizar empréstimos a terceiros, mediante cobrança de juros.

Segundo o inquérito em que se baseia a denúncia, Willians apropriava-se dos valores depositados nas contas poupança (sendo a maior parte do Banco Bradesco) utilizando recibos de retirada sem preenchimento ou assinatura de seus titulares.

Os comprovantes dos saques eram rasgados e jogados no lixo. A denúncia relata ainda a operacionalização do crime. O acusado sempre escolhia pessoas simples e com pouco conhecimento bancário. Quando um cliente entrava na agência, Willians realizava um depósito na conta prejudicada e, caso aquele pedisse um extrato bancário, o denunciado fornecia apenas o saldo para ocultar qualquer movimentação financeira. Depois que o cliente saia, ele fazia a retirada novamente, para subsidiar os empréstimos mediante cobrança de juros.

Como a maior parte das vítimas tinham conta poupança no Banco Bradesco, a instituição bancária descobriu o delito. O denunciado, então, passou a realizar depósitos dos valores que havia se apropriado nas mesmas contas. Essa tentativa de compensação gerou um desfalque de R$ 165.554,57 no caixa dos Correios. O procedimento administrativo da própria instituição apurou que o funcionário havia se apropriado da quantia.

O MPF/TO requer a condenação do denunciado nas penas previstas nos artigos 312, parágrafo 1º, e 327, parágrafo 1º do Código Penal.

Fonte: Assessoria de Imprensa MPF