Estado

Foto: Divulgação Presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro Presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro

Após a publicação da lista no Diário Oficial dos mais de cinco mil servidores comissionados que estavam na máquina administrativa no período anterior a janeiro deste ano o Sindicato dos servidores Públicos questiona a quantidade de contratos temporários que o governo está fazendo para suprir o quadro.

São mais de seis mil contratos temporários, que segundo o sindicato, traz um prejuízo para o Estado. “O Estado coloca esses servidores temporariamente e com isso pode causar prejuízo para a prestação de serviços continuada”, afirmou o presidente do Sindicato, Cleiton Pinheiro.

O presidente salienta que o prejuízo será principalmente nas substituições temporárias nas áreas técnicas onde os contratados terão que ser capacitados para exercer a função mas apenas em caráter temporário.

Levantamento

O governo alega que está ainda levantando as vagas que serão necessárias para o próximo certame do Quadro Geral. O secretário de Administração, Lúcio Mascarenhas faz silêncio sobre o número de vagas que o governo pretende propor no novo certame.

“Não há necessidade de fazer levantamento se desses 6365, 90% são do Quadro Geral”, argumenta o presidente se referindo à quantidade de contratos feitos pelo atual governo para contratações no período de um ano.

Cleiton salienta que o Sisepe é a favor da convocação do novo certame o mais rápido.

No certame que foi cancelado o previsto eram mais de seis mil vagas e esse dado já poderia inclusive apontar para o governo, segundo o presidente, a real demanda de vagas para o próximo concurso.

A expectativa é que ainda este mês o governo divulgue mais informações sobre o concurso.