Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente municipalista da Associação Tocantinense de Municípios e prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto, prestigiou nesse sábado, 11, a prefeita de Pindorama, Marionisce Gaspar Ribeiro e o prefeito de Natividade, Joaquim Rodrigues Ferreira, nos festejos de Nossa Senhora Aparecida e do Divino Espírito Santo e ainda, o XXXI aniversário de Silvanópolis. Em Pindorama, Silvino participou da missa solene da Padroeira da cidade; da coroação do Imperador, Antônio Filho de Conceição Gonzaga e da Imperatriz, Elba Aparecida Antunes Ribeiro; do sorteio dos festeiros de 2012 e ainda, da chegada da equipe Moto Clube, de Ponte Alta do Tocantins. Aproximadamente seiscentas pessoas do município, de cidades vizinhas e de outros Estados, participaram das festividades.

As celebrações, que já fazem parte do calendário cultural do Estado, fortalecem o comércio local e solidifica a economia, a religiosidade e a cultura do município. A programação segue até hoje, 12, às 22h. Pindorama, que fica a 240 km de Palmas, tem uma população de cerca de 4.600 habitantes.

O padre Elison Gonçalves dos Santos, responsável pela capela Nossa Senhora Aparecida, realizou a missa e foi fortemente aplaudido pelas sábias palavras. “Precisamos resgatar a dignidade de filhos de Deus. Precisamos do vinho da humildade”, disse.

Para a Prefeita Municipal, os festejos são uma cultura religiosa do município e a cada ano aumenta mais o número de devotos. “Muitas pessoas vem, todo ano, de diferentes lugares”, acrescentou Marionisce.

“A homilia foi boa e a festa está linda. Isso é que faz com que a cultura permaneça”, exclamou o Presidente da ATM.

Histórico

A religião predominante no município é a católica e desde 1947, quando Pindorama começou a ser habitada, não existia uma imagem, apenas uma capela de adobe, construída em 1953. Em 1957, começaram os festejos na comunidade, sendo dia 11 de maio, o dia da Padroeira da cidade. As festividades iniciaram-se no dia dois de maio, com o levantamento do mastro de Nossa Senhora Aparecida. Novenas e leiloes permanecem até hoje. Em 1977, a comunidade de Pindorama sugeriu ao padre Nonato que levantasse também o mastro do Divino Espírito Santo, e que festejasse junto à Padroeira da cidade, pois observaram que havia, em meio à comunidade, devotos do Espírito Santo.

Em 1977, a pedido dos agricultores, por causa das colheitas que ocorriam no mesmo período, o que impossibilitava a presença de muitos romeiros às festas, alteraram a data para o dia 11 de junho, iniciando os festejos no dia dois de junho.

Natividade

No município, o Presidente da ATM prestigiou a Festa do Capitão do Mastro. A comemoração começou com uma missa solene do Capitão do Mastro. Posteriormente, o Capitão e sua família foram levados até a porta da igreja Matriz, em cima de um mastro de, aproximadamente, cinco metros de altura.

Para o prefeito de Natividade, o povo nativitanto tem apreço pelas tradições. “A festa do Divino é conhecida no Tocantins e em muitos lugares do País. Os visitantes saem maravilhados com o brilho das celebrações. A cada ano, as comemorações atraem muitos turistas para a cidade. A nossa festa está linda e animada. Todos participam”, falou Ferreira.

O mastro, com a bandeira no alto, significa uma grande seta apontada para o céu, de onde o Espírito Santo virá para encher o coração dos fiéis de dons divinos. Também é uma alusão à colonização portuguesa, quando os navegadores se lançavam ao mar bravio, em Caravelas.

“Natividade é um celeiro de cultura e história. É uma cidade maravilhosa, de povo acolhedor e que ama a tradição. Vim prestigiar a festa, porque sou do Tocantins e porque é uma das maiores riquezas que temos no Estado, finalizou o presidente da ATM.

O prefeito de Barra do Ouro, Gilmar Cavalcante, também abrilhantou os festejos de Natividade.

Origem

A história conta que no século XIV, época em que Portugal e Espanha guerreavam, a Rainha Santa fez a promessa de alimentar os famintos, vestir os nus e oferecer sua coroa ao Divino, em troca de paz. A graça foi alcançada e a promessa cumprida. O culto ao Divino passou então, a ser difundido, especialmente, nos países colonizados pelos portugueses. O Brasil entre estes.

No Tocantins, fontes históricas registram a realização dos Festejos do Divino, em Natividade, desde 1904, mas, certamente, a tradição antecede o século XX.

Reza a crença, que o Divino desterra a peste, a fome e a guerra. A bandeira é portadora de bênçãos, um véu rasgado que deve ser referenciado de joelhos com o sinal da cruz e um beijo.

Silvanópolis

O município comemorou desde o dia 7 deste mês, o XXXI aniversário de emancipação política. A vasta programação que incluiu atividades esportivas; shows de calouro infantil e adulto; apresentação do grupo de quadrilha Junina Flor, de Monte do Carmo; rodeio; escolha da Rainha do Rodeio e shows com duplas regionais, encerrou na noite desse sábado, 11, com a final do rodeio e show com a dupla sertaneja goiana, André e Andrade. Aproximadamente dez mil pessoas passaram pela cidade, nos cinco dias de festa.

“Agradeço a todos os presentes, por terem prestigiado a nossa festa, em especial aos meus auxiliares – secretários municipais; à primeira-dama, Donilha Guimarães; ao vice-prefeito, Mateus Francisco Lemos; à Câmara de Vereadores em nome do presidente, Miguel Moreira e aos prefeitos de Ipueiras, Caio Augusto Siqueira de Abreu Ribeiro; de Santa Rosa, Domingos Ferreira dos Santos e de Monte do Carmo, Gilvane Pereira Amaral. Senti-me muito honrado por ter tido a presença ilustre do presidente da ATM, Manoel Silvino”, exclamou o prefeito da cidade, Bernardo Siqueira Filho.

O deputado estadual Vilmar do Detran prestigiou as festividades dos três municípios.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ATM