Estado

Foto: Divulgação

A Associação dos Deficientes Físicos do Tocantins – Apodefitins começou uma campanha de arrecadação para ajudar nos custos da entidade e nas serviços de assistência. Em frente a pontos estratégicos da capital membros da associação pedem doações para motoristas.

Em entrevista ao Conexão Tocantins, o presidente da Associação, Antônio Soares salientou que desde que o governo estadual suspendeu a ajuda á associação a situação tem sido cada dia mais difícil. “Está muito difícil para nós lidarmos com estes problemas todos os dias”, frisou.

O presidente é tetraplégico e conta que já fez mais de dez ofícios para o gabinete do governador e ainda para a Secretaria de Assistência Social porém não obteve até hoje nenhuma resposta. “Isso é um descaso porque a maioria dos cadeirantes são carentes”, frisou.

Na gestão passada, segundo o presidente, o governo tinha convênio para ajudar a associação e disponibilizava ainda seis servidores para prestar serviços à entidade. “O governo cortou isso mas não fez nenhum convênio. Nem ajuda com combustível para ajudar na locomoção dos filiados da associação”, cobrou.São mais de dois mil filiados na instituição.

Demandas

Para o presidente da Associação no Tocantins a causa dos portadores de deficiências ainda não tem prioridade para as instituições governamentais. “As cotas de vagas para os deficientes não são respeitadas, não há acessabilidade no próprio Sine para facilitar o acesso as caderantes”, listou.