Campo

Foto: Juliano Ribeiro

Com vistas ao grande potencial tocantinense para a piscicultura, o governo tem desenvolvido diversas ações voltadas ao fortalecimento do setor no Estado. Essas ações estão sendo implementadas por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), em apoio ao produtor, o qual recebe assistência para desenvolver a atividade.

De acordo com o gerente de Aquicultura e Pesca do Ruraltins, Confúcio da Silva Guedes, o primeiro passo para aqueles que pretendem investir na atividade é procurar o Ruraltins e agendar uma visita de um técnico do órgão. “Este técnico vai visitar a propriedade e vai identificar e avaliar a viabilidade da atividade naquele local”, explica o gerente.

Segundo o gerente, após o levantamento preliminar o Ruraltins elabora um projeto técnico, com o qual o produtor poderá buscar o licenciamento ambiental junto ao Naturatins. “De posse do projeto o produtor pode procurar o Naturatins e conseguir o licenciamento. Com o projeto em mãos o processo fica mais simples e fácil”, ressalta.

Além do projeto técnico o Ruraltins também desenvolve um trabalho de acompanhamento com o produtor disposto a desenvolver a atividade. “Assim que este produtor começar a desenvolver a atividade ele receberá uma assistência técnica, um acompanhamento que vai ser dado durante a 1ª safra do cultivo”, frisa o gerente. Cada tanque em rede tem capacidade de produção de 400 peixes.

Público alvo

A iniciativa é destinada aos pequenos produtores que trabalham com agricultura familiar. De acordo com o gerente a procura pela assessoria tem sido grande. “Temos recebido produtores todos os dias e isto é muito bom, pois essa assistência tem uma grande importância, já que quanto mais produtores, mais geração de emprego e renda. Cada produtor que inicia sua produção cria uma fonte de renda, pois hoje o mercado para esta atividade é muito amplo”, enfatiza o gerente.

Áreas para a atividade

Já se encontra em andamento um estudo no Ministério da Pesca e Aquicultura, que em parceria com o Governo do Estado, irá disponibilizar novas áreas para a piscicultura no Tocantins, a exemplo dos parques aquícolas de Lajeado. “Este estudo já esta em andamento e segundo a informação que tivemos do Ministério a previsão é que até novembro as áreas sejam disponibilizadas”, destaca o gerente. Segundo ele as áreas serão dividas em onerosas (que serão comercializadas com empresários) e não onerosas (que serão destinadas, sem custos, a pequenos produtores, moradores ribeirinhos e pescadores artesanais).

Fonte: Secom