Campo

Foto: Divulgação

Estudo realizado por técnicos da Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário aponta que até 2014 o Tocantins deverá ter uma área de 208 mil hectares de florestas plantadas. Até 2010, a área de silvicultura (cultivo de árvores) no Estado era de 50 mil hectares. Ao todo, devem ser investidos cerca de R$ 60 milhões só no plantio das árvores, em todo Estado.

A abundância de recursos naturais, como água, solo, clima propício, além da logística privilegiada e a disponibilidade de áreas são algumas das razões que atraíram o interesse de grandes grupos que trabalham com a silvicultura. De acordo com o diretor de agroenergia da Seagro, Luiz Eduardo Borges Leal, essa projeção de crescimento de área e de investimento é possível graças às condições do desenvolvimento da silvicultura no Estado. “Esses grandes grupos realizam estudos, antes de investir, e os estudos demonstram essa capacidade de produção”, afirmou Leal.

Ainda segundo o diretor de agroenergia, a silvicultura do Tocantins é voltada para a produção de energia renovável e de papel celulose. O plantio de arvores garante geração de renda para o Estado, atrelada à preservação ambiental, uma vez que árvores nativas deverão ser poupadas.

No Estado, a silvicultura se destaca nas regiões Sul (Gurupi e Peixe), Sudeste, Centro-Norte e Bico do Papagaio. A principal espécie de arvore plantada no Tocantins é o eucalipto, seguido pela seringueira, teca e de outras árvores nativas. O estudo sobre a silvicultura no Tocantins foi realizado pela Seagro, em parceria com a Embrapa Floresta e as associações de produtores do Estado.

(Ascom Seagro)