Polí­tica

Foto: Divulgação

Ainda na entrevista concedida ao Conexão Tocantins o ex-secretário estadual da Segurança Pública, João Costa Ribeiro Filho frisou que embora não tenha ainda conversado com o governador Siqueira Campos (PSDB) a relação dos dois não deve ter nenhum abalo mesmo com sua saída do cargo. “Minha relação com ele continua sendo boa. Eu é que deixei o governo”, afirmou. Segundo ele, Siqueira teria insistido para que ele não deixasse o cargo.

“Eu deixei o governo mas não o Tocantins”, frisou. Costa afirmou que está reativando o escritório de advocacia e que pretende montar uma ONG voltada para a preservação da vida humana.

Experiência

Comentando a experiência de pouco mais de sete meses à frente da Secretaria, Costa frisou que o funcionamento da gestão pública é diferente do que ele imaginava.

“Nós tínhamos uma investigação em curso. Minha ideia era fazer prisões, os inquéritos estão em andamento”, frisou. Segundo Costa as investigações envolvem ainda alguns prefeitos. “Nós íríamos passar o Tocantins a limpo”, disse. Costa citou ainda as investigações da Operação Inconfidente que envolvem o advogado Stalin Beze Bucar Júnior e frisou que a apuração não pode parar.

“Colocar um secretário mais tranquilo e acomodado é bom mas não resolve o problema”, frisou. “Não se pode deixar sair impune aqueles que prejudicam o Tocantins, aquilo que eu pensava que poderia dar certo num curto espaço de tempo poderia levar mais tempo”, ponderou.