Estado

Foto: Frederick Borges

Um impasse marcou o final da missa dos festejos do Senhor do Bonfim nessa segunda-feira, 15, quando o governador Siqueira Campos (PSDB) perdeu a paciência quando o padre Joatan, que comandava a missa, criticou o governo.

Tudo começou quando o padre chamou a secretária de Cultura, Kátia Rocha e o governador para o palanque. Depois disso padre Joatan criticou a atuação de alguns policiais militares que atuaram na festa. O padre no entanto não especificou a qual ano se referia a reclamação.

Joatan afirmou aos presentes que o governo precisa consultar a igreja com relação a isso. Segundo relatou ainda fontes do Conexão Tocantins que presenciaram a cena, a secretária Kátia Rocha tomou o microfone do padre e afirmou que o impasse com relação aos Pms não aconteceu no atual governo. No entanto a informação de integrantes do governo é que isso não aconteceu. A secretaria teria então esperado o discurso do padre terminar para fazer a intervenção ressaltando que o fato aconteceu em outro governo.

O Conexão Tocantins procurou a secretária para falar sobre o assunto mas ela não quis se pronunciar.

Depois das críticas o governador Siqueira Campos teria ficado nervoso com as palavras do padre e o chamou de “moleque e ladrão”, segundo presenciou uma fonte. O governador teria falado inclusive de uma possível negociação com lotes no Bonfim envolvendo o padre. Essa informação foi contestada pela assessoria do governador que negou tais falas de Siqueira.

O bispo levou então o governador para a casa paroquial e pediu que o padre se retratasse sobre as declarações que fez. O padre Joatan afirmou depois que o fato a que se referia era no governo de Marcelo Miranda quando policiais evangélicos teriam debochado de romeiros e feito até cultos evangélicos no local da festa do Bonfim.

O Conexão Tocantins procurou ainda o subsecretário Ailton Parente Araújo que presenciou o impasse. Ele frisou que o fato dito pelo padre não se referia à atual gestão. Sobre a reação do governador o subsecretário não quis comentar.

Questão política

O padre Joatan é conhecido por ter envolvimento político com alguns líderes do Estado. No ano passado por exemplo há indícios de que ele pediu votos para o ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) nas eleições de 2010.

(Atualizada às 11h44min)