Polí­tica

O deputado Irajá Abreu (DEM-TO) quer que o Ministério da Integração Nacional comece a liberar o mais rápido possível os recursos previstos na Medida Provisória (MP) 537/11, que destina um crédito extraordinário de R$ 500 milhões para ações da Defesa Civil, como forma de intensificar o combate aos incêndios florestais no Tocantins. Ele defendeu a imediata liberação da verba ao presidir audiência pública, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), sobre queimadas no Tocantins.

Convocada por meio de requerimento apresentado por Irajá Abreu, a audiência contou com a participação da senadora e presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Kátia Abreu (DEM). Ela sugeriu que o governo do Tocantins decrete estado de calamidade por causa das queimadas que atingem várias regiões do Estado. Segundo a parlamentar, isso fará com que o Ministério da Integração Nacional comece a liberar rapidamente os R$ 500 milhões previstos na MP 537.

Ao defender a imediata liberação dos recursos, Irajá Abreu informou que somente no dia 24 de junho último, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectaram 182 focos de incêndios em todo o país. Do total, assinalou o deputado, 52 ocorreram no Tocantins. Desses, 28 foram contabilizados no interior ou no entorno de unidades de conservação do Estado. Durante a audiência, Irajá Abreu disse também que o combate aos focos de incêndio é uma forma de preservar a biodiversidade do país. Para tanto, propôs a adoção de medidas educativas. “Precisamos conscientizar a zona urbana e a zona rural que esse é um mal que assola a todos.”

Um dos participantes da audiência, que reuniu representantes dos governos federal e do Tocantins, o presidente do Conselho de Administração do Centro Brasileiro de Conservação da Natureza e Desenvolvimento Sustentável (CBCN), professor Laércio Couto, sugeriu a substituição de gramínea por leguminosas nas áreas às margens das estradas como forma de combater às queimadas. A proposta faz parte de uma das linhas de ação do projeto “Via Verde”, coordenado por Couto.

Além do presidente do CBCN, a audiência contou com a participação do presidente substituto do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováris (Ibama), Fernando da Costa Marques; do diretor de preservação ambiental do Ibama, Luciano Menezes Evaristo; do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Tocantins, Divaldo Rezende; do major Peterson Queiroz de Ornelas, representando o 1º Batalhão de Bombeiros Militar do Tocantins; do presidente do Naturatins, Alexandre Tadeu; do assessor técnico da Comissão Nacional de Meio Ambiente da CNA, João Carli Filho; do coordenador do Centro de Gerenciamento de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Armin Augusto Braun; do diretor do ICMBIO, Ricardo Soavinski; e do coordenador-geral de proteção ambiental do ICMBIO, Paulo Carneiro." (Assessoria de Imprensa/ Irajá Abreu)