Polí­tica

Foto: Divulgação

A vice presidente do PSD nacional, senadora Kátia Abreu, informou por meio de nota nesta terça-feira, 30, sobre a matéria veiculada pela Rede Globo na noite de ontem, na qual o Partido é acusado de recolher assinaturas falsificadas para apresentar à justiça eleitoral com intuito de viabilizar o registro da sigla.

Segundo Kátia o Partido pretende ser criado dentro das regras do estado democrático de direito. Confira abaixo a nota na íntegra.

Notade Esclarecimento

O PSD, diante de reportagem do JornalNacional, da Rede Globo, veiculada na noite desta segunda-feira, dia 29 de agosto de 2001, e em defesa do trabalho realizado pelos Cartórios Eleitorais do Estado, vem a público esclarecer:

1 –O partido pretende ser criado dentro das regras do estado democrático de direito, estabelecidas na Constituição da República Federativa do Brasil.

2 –Neste sentido, o PSD se sente, como seu dever, resguardar o trabalho realizado pelos Cartórios Eleitorais do Estado do Tocantins, no processo de certificação de assinaturas de eleitores, necessários à criação do novo partido.

3 –O PSD esclarece que o processo referente à coleta de assinaturas em Crixás do Tocantins, objeto da referida reportagem, subordinado à Cartório da 2 ª Zona Eleitoral de Gurupi, não está incluído na pauta de julgamentos do Tribunal Regional Eleitoral, previsto para esta terça-feira, dia 30 de agosto de 2011, justamente para possibilitar uma verificação mais amiúde, como de fato se deu, pelaJustiça Eleitoral, senão vejamos, os casos mencionados pelo Jornal Nacional nesta noite:

Denúncia de possíveis fraudes

A)João Henrique da Silva (falecido ) – a assinatura não foi certificada pelo Cartório Eleitoral, como consta na página 23 do processo.

B)Pedro Santana Silva (reclamação de duas assinaturas e sem o seu reconhecimento) – uma assinatura do eleitor foi certificada pelo Cartório Eleitoral, como consta na página 12 do processo. E outra não foi certificada (como está na página 15 do processo), o que demonstra a diligência do trabalho do Cartório Eleitoral.

C)Leônidas Lisboa (reclamação de que assinaturanão confere) – a assinatura do eleitor não foi certificada peloCartório Eleitoral, como consta na página 23 do processo.

D)José Lima (reclamação de que assinatura não confere) – a assinatura do eleitorfoi certificada pelo Cartório Eleitoral, como está na página 19 do processo.

4 –Como se vê, a assinatura do eleitor falecido não foi certificada e a do eleitor que reclama de duas assinaturas, apenasuma foi certificada, o que demonstra a acuidade do trabalho da Justiça Eleitoral, diante do fato de que foram protocoladas no Cartório da 2ª Zona Eleitoral de Gurupi, 299 assinaturas de eleitores de Crixás, sendocertificadas apenas 154 assinaturas, o que demonstra o rigor dos critérios da Justiça Eleitoral.

Consciente de seu papel para o fortalecimento das instituições partidárias no Brasil e no profícuo trabalho da Justiça Eleitoral, fiadora do processo democrático que vigora no país, o PSD defende a legalidade e origor que a lei determina

KÁTIA ABREU
Vice-presidente nacional do PSD