Polí­tica

Foto: Divulgação

Em discurso de despedida feito da tribuna do Senado nesta quarta-feira, 31, o suplente de senador Ataides Oliveira (PSDB) afirmou que focou sua atuação em objetivos claros, nos quatro meses nos quais ocupou a vaga do titular João Ribeiro (PR), que havia se afastado com a justificativa de tratamento de saúde. Ataides volta agora para sua atuação empresarial na iniciativa privada.

Segundo Ataides, um dos três objetivos a que se propôs foi a defesa “inconteste” do Tocantins e da população mais frágil do Estado, sem quaisquer interesses em projetos pessoais. “Estive aqui no Senado Federal com os olhos voltados aos interesses dos tocantinenses, principalmente os interesses da população mais humilde do meu Estado, que luta uma luta desigual em seus 139 Municípios, especialmente nos Municípios com menos de dez mil habitantes, que são a grande maioria”, disse

Ataides afirmou que, no Estado, cerca de 120 municípios tem uma juventude praticamente sem qualificação profissional e lazer de qualidade, “sem acesso ao conhecimento, à mercê do narcotráfico e, pior, sem uma política pública específica de Estado para resolver os graves problemas”, salientou.

Segundo o suplente de senador, pelos motivos expostos acima, é que nos quatro meses de mandato, abriu mão do seu salário de senador, doando-o às unidades da APAE do Tocantins e para a Fazenda Esperança.

Ainda segundo Ataides, a qualificação e o lazer também foram os motivos para que, de forma intransigente, lutasse por mudanças na atuação do Sistema S, especialmente do Sesi, Senai, Sesc e Senar. “Atuação que está centrada de forma equivocada nas capitais e nas grandes cidades do nosso País, onde engrossam todos os anos a fila de jovens e crianças sem perspectivas; um verdadeiro abandono social em milhares de pequenas cidades do interior do Brasil”, disse.

Ataides também pautou sua atuação nos quatro meses de senado, na luta por um sistema produtivo livre de taxas e encargos fiscais extraordinários e em favor das reformas.

Por: Redação

Tags: Ataídes Oliveira, João Ribeiro, Senado