Saúde

Foto: Divulgação

Reunidos em café da manhã em coletiva para a imprensa nesta quarta-feira, 21 de setembro, na sede do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (SIMED-TO), os médicos tocantinenses iniciaram a suspensão do atendimento por plano de saúde em consultórios, ambulatórios e hospitais por 24 horas.

Munidos de cartão vermelho, tema desta paralisação nacional, os médicos leram a carta aberta divulgada pelas entidades médicas nesta quarta-feira. No Tocantins, de 12 operadoras de plano de saúde apenas duas enviaram propostas ao SIMED-TO e serão analisadas em assembleia da categoria médica marcada para o dia 21 de outubro.

A manifestação é um movimento nacional contra os planos de saúde que se recusaram a negociar a revisão dos honorários médicos, ou propuseram percentuais irrisórios e ainda insistem em manter medidas que interferem no relacionamento entre médico e paciente.

O movimento é encabeçado pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Conselho Federal de Medicina (CFM), e Associação Médica Brasileira (AMB), com o apoio regional do Sindicato dos Médicos no Tocantins (SIMED-TO), Conselho Regional de Medicina (CRM-TO) e Associação Médica do Tocantins (AMT). (Ascom Simed)