Polí­tica

Em entrevista coletiva concedida na manhã desta segunda-feira, 26, na sede do Democratas, em Palmas, os líderes do partido, deputada federal Dorinha Seabra e o deputado estadual Osires Damaso – presidente regional da legenda, comentaram sobre a atual situação do DEM no governo de Siqueira Campos (PSDB) e as eleições do ano que vem.

Depois da debandada democrata depois da criação do PSD, o DEM perdeu muitos nomes dentro do cenário político do Estado. Entre eles estavam membros do primeiro e do segundo escalão do governo e o vice-governador João Oliveira. Com isso, segundo Damaso, o Democratas deixou de participar diretamente das articulações do governo. “Hoje o Democratas não tem nenhum cargo no governo”, disse.

A iniciativa, segundo ele, é buscar o entendimento junto a Siqueira Campos, para que, já no ano que vem, o DEM possa participar com maior efetividade da gestão de Siqueira. “Nós queremos que o governo escute e aceite as políticas públicas do Democratas. Como caso mais específico, o deputado ainda comentou sobre a Secretaria Estadual da Educação – pasta que foi ocupada por quase 10 anos pela deputada Dorinha Seabra. “Mesmo com um secretário aplaudido por muitos, a educação no estado passa por muitas dificuldades. O governo poderia inserir mais as políticas propostas pela professora Dorinha”, disse.

A intenção, segundo Damaso, é que o DEM reconquiste seu espaço dentro do governo já no ano que vem. “Nós fazemos parte do apoio ao governador e pretendemos permanecer dessa forma, se Deus quiser, até o final do mandato”. O DEM não conta com a possibilidade, no entanto de deixar esse apoio, mesmo com espaço reduzido no governo.

Eleições 2012

Sobre as eleições municipais do ano que vem, Damaso frisou que o DEM já está se organizando e que pretende lançar o maior número de candidatos a prefeito, quanto for possível. Nas cidades que não tivermos condições de vencer, vamos ver a possibilidade de apoiar algum da base do governador”, disse.

Em palmas, o partido ainda não possui um candidato. A definição, segundo o presidente regional da sigla, deve ser tomada até março do ano que vem. Contudo uma corrente forte por parte da gestão estadual do DEM conta com o nome da deputada para ocupar o cargo de candidata a prefeita da capital. “A professora Dorinha tem uma resistência quanto a isso. Mas minha indicação é do nome dela”, disse.

Já a deputada frisou que uma candidatura dela ainda precisa ser aprovada pelo partido. “Uma candidatura não pode partir de uma única pessoa. Tem que ser um consenso do grupo”, disse.