Polí­cia

Foto: Divulgação

Na manhã dessa sexta-feira, 14, o delegado titular da Delegacia Estadual de Investigações Criminais Complexas – (Deic), Alberto Cavalcante, e o delegado da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa – DHPP, João Sérgio Kenupp, deram uma coletiva à imprensa no sentido de tranquilizar a população, quanto aos crimes de homicídios que aconteceram na madrugada de quinta-feira, 13, em Palmas. Dois dos três homicídios estão desvendados e os autores presos, à disposição da justiça.

Na coletiva de imprensa, Alberto tranquilizou a população e ressaltou que os crimes foram isolados. “Como se tratam de crimes isolados, o cidadão não precisa se alarmar. A polícia já conseguiu identificar os autores de dois homicídios e os acusados já estão presos. A Polícia Civil agora está em diligência, no sentido de capturar o autor de outro homicídio que aconteceu no Setor Santa Fé, em Palmas. Esse caso, a polícia trata como latrocínio, roubo seguido de morte, já que a vítima teve o dinheiro e o celular levados pelo bandido”, disse o delegado.

O delegado ressaltou ainda, que a Polícia Civil está atenta e trabalha diuturnamente para elucidar com rapidez esses casos.

Entenda o caso

Na madrugada de quinta-feira, 13, aconteceram três homicídios que chocaram a população de Palmas. A primeira ocorrência que a polícia recebeu foi de um crime de latrocínio. Otacílio Júnior Machado, de 21 anos, foi encontrado morto, dentro do carro, com dois tiros na nuca, no Setor Santa Fé na capital.

O outro crime aconteceu em Taquaruçu, por volta das 15h. Márcio Glória de Oliveira foi morto com um golpe de faca no peito, ao tentar separar uma briga. A autora do crime, Maria Domingas da Silva, ao tentar desferir os golpes de faca em um homem, conhecido por “Cebola”, por motivo banal, atingiu Márcio, que tentava separar a briga. Maria está presa à disposição da justiça.

O outro homicídio aconteceu na quadra 403 Norte, por volta das cinco horas da manhã. Ao ser preso, o homem ainda não identificado, conhecido apenas por “Neguinho”, alegou que matou a ex-companheira por ciúmes. Confessou estar drogado e na delegacia, tentou em vão, dois suicídios ao simular se jogar da janela do prédio da Delegacia.

De acordo com o delegado da DHPP, João Sérgio, a Polícia Científica está trabalhando para identificar o verdadeiro nome de “Neguinho”. “A polícia, nos próximos dias, saberá, por meio de exames, a verdadeira identidade do autor do crime”, afirmou o Delegado. (Ascom SSP)