Polí­tica

Foto: Dicom/Câmara

O Senado Federal contou com o voto favorável do Senador Vicentinho Alves pela aprovação da Comissão da Verdade.

"Por entender que toda violência é um crime, um abuso contra os direitos individuais dos cidadãos e uma prática que afronta as regras da harmonia no convívio social, votei favorável pois vejo que pior ainda é quando esse tipo de agressão parte de quem deveria proteger o livre direito de expressão e de cidadania no estado democrático de direito", afirma.

Ontem, quarta-feira (26), os senadores aprovaram por unanimidade a criação da Comissão da Verdade - comissão que irá apurar violações de direitos humanos durante a ditadura.

"Desde o início do ano, estamos pleiteando junto ao Ministério da Justiça os direitos dos anistiados do Tocantins e de todo o Brasil e encontramos, neste momento, uma sequência ao trabalho que já estamos desenvolvendo, pois focamos nossa atuação no respeito aos direitos sociais dos brasileiros - tanto que quem acompanha nossas ações sabe do que pleiteamos e dos projetos que apresentamos: aposentadorias especiais para os quilombolas e garis, criação da Secretaria Nacional dos Povos Indígenas; relatorias favoráveis a projetos sociais, como o das cédulas com identificações para deficientes visuais, entre outros", informa o parlamentar.Para Vicentinho, "o Brasil não pode mais suportar que crimes como tortura, assassinato e desaparecimento de pessoas firam os direitos democráticos conquistados.

"Lamentavelmente, não será possível pedir abertura de processos contra torturadores. É que a lei da anistia não permite." (Ascom)

Por: Redação

Tags: Comissão da Verdade, Vicentinho Alves