Estado

Foto: Joselita Matos

Mais de 130 pessoas entre representantes do poder público, dos Conselhos e da sociedade civil dos municípios de Arapoema, Bandeirantes do Tocantins, Bernardo Sayão, Brasilândia, Couto Magalhães, Itapiratins, Juarina, Palmeirante, Tupiratins e Colinas do Tocantins estão reunidos em Colinas para a 11ª Conferência Regional sobre Transparência e Controle Social (Consocial). O evento acontece na Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas.

Na discussão, em cada um dos quatro eixos, a população tem a oportunidade de apresentar propostas que acredita que vão fazer a diferença no que tange, principalmente, ao combate à corrupção e controle da gestão pública. Na abertura, o secretário-chefe da Controladoria Geral do Estado, Éldon Barbosa, estimulou o acesso ao Portal da Transparência e disse que é importante o acompanhamento e a fiscalização das contas públicas por parte da sociedade.

Para o prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto, os participantes estão mostrando engajamento e interesse em discutir os temas, o que mostra que a sociedade está dando a importância devida à transparência pública. “Hoje há um grande fortalecimento dos órgãos de controle como CGU, CGE, TCE, Ministério Público Estadual e Federal e isso é importante para exigir mais dos gestores, isto é, que eles se aperfeiçoem, porque quando se trabalha com dinheiro público existe o risco do desvio. A sociedade deve acompanhar e, portanto, participar dessa discussão”, disse o prefeito.

O prefeito em exercício de Arapoema, Jesus dos Santos Gonçalves, esclareceu que a Consocial é, sobretudo, um ambiente para que o povo saiba como acompanhar a destinação dos recursos públicos. “E isso estava faltando. Quero parabenizar a Controladoria Geral do Estado e da União pela iniciativa”, disse ele. O representante do prefeito de Bernardo Sayão disse que estava satisfeito em poder estar presente ao evento que desperta a consciência da cidadania. Já o vice-prefeito de Couto Magalhães, Zedequias Lacerda, declarou que o governo, em todos os âmbitos, deve ter uma administração transparente porque a democracia e a sociedade exigem.

Natália Machado, representante da sociedade civil, disse que “nós temos que aprender a cobrar, saber como cobrar e até saber quando é necessária a cobrança”, explica, após sua participação no eixo de discussão sobre os mecanismos de controle social. Já a representante do Conselho de Saúde de Couto Magalhães, Luzia Martins, enfatizou que é importante participar da Conferência e, principalmente, repassar aos demais conselheiros que não puderam estar presentes, as discussões e propostas resultantes desse evento.

Organização

O subsecretário da Controladoria, Juvenal Gomes, explanou e contextualizou a Consocial, durante palestra. Os técnicos da Controladoria, Fabiane Mascarenhas e Flávio Marques, fazem parte da equipe de apoio que organiza e sistematiza as propostas, bem como auxilia no processo de votação dos delegados. “Eles e toda a equipe da CGE e da CGU desempenham um trabalho de bastidor que é fundamental para que tudo se concretize. Além disso, há o esforço e dinamismo de todos os facilitadores das Secretarias da Saúde, da Setas e da Educação, que têm nos ajudado a fazer desta Conferência um sucesso”, afirmou Barbosa.

Nesta etapa estão atuando como facilitadores de cada eixo de discussão: Aline Queiroz Labre (Secretaria da Educação), Paulo Antônio Pereira da Silva (Saúde), Joel Brandão, da CGU e Juvenal Gomes, da CGE. (Secom)